Cidadeverde.com
Cidades

População faz manifestação de repúdio a violência contra a mulher

Imprimir

Foto: Canal 121

A Prefeitura de Água Branca, por meio da Secretaria Municipal de Finanças e da primeira-dama, Alessandra Rakel, realizou, no final da tarde desta segunda-feira (11), um ato público em repúdio à violência doméstica contra a mulher.

Com a realização de panfletagem e de uma blitz educativa, a vice-prefeita, Marinalva Chaves, a psicóloga do CRAS Ana Maria, integrantes do Conselho Tutelar e demais secretarias, se juntaram para conscientizar a população pelo fim da violência contra a mulher e fortalecer a rede de enfrentamento à violência doméstica.

Em parceria com a rede de proteção e com o Conselho Municipal da Mulher, a equipe da Secretaria de Assistência Social-SAS, também participou do ato público. Ao lado da rede de proteção, a Secretaria de Assistência Social vem desenvolvendo diversas ações nesse sentido. "Lutamos por esta causa: pelo fim da violência contra a mulher. Parabéns à primeira-dama, Alessandra, pela ideia e pela mobilização. As mulheres precisam de respeito", afirmou o Secretário de Assistência Social, Juca Cavalcante.

O município de Água Branca dispõe de uma Delegacia da Mulher, CREAS, Conselho Municipal da Mulher, e os serviços de acolhimento relacionados aos direitos das mulheres de forma geral.

Dois casos recentes de tentativa de feminicídio chamaram a atenção de todo o Estado, colocando ainda mais a necessidade de novas políticas públicas voltadas para a proteção e garantia de direitos das mulheres.

No último dia 29 de junho, a professora Guilhermina Ferreira de Souza, 51 anos, foi vítima de uma tentativa de feminicídio no município. Ela foi esfaqueada diversas vezes pelo ex-companheiro.

Após o crime, Guilhermina foi socorrida e levada ao Hospital Senador Mendes Arcoverde e depois teve de ser transferida para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), onde ficou vários dias em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).  Ela teve dois dedos da mão amputados.

O agressor foi preso no dia seguinte ao crime, na cidade de Barro Duro.

Poucos dias depois, em 04 de julho, a jovem Andressa Jaine foi vítima de mais uma tentativa de feminicídio em Água Branca. Ela recebeu doze golpes de faca em várias regiões do corpo. O agressor é ex-companheiro Tawan David, que fugiu após o crime e até hoje não foi localizado.

Andressa Jaine foi socorrida e levada para o hospital do município e se recupera bem dos ferimentos.

Da Redação

Imprimir