Cidadeverde.com
Esporte

Com classificação antecipada, Pia projeta testes na seleção brasileira feminina

Imprimir

Ao faturar sua terceira vitória consecutiva na Copa América feminina, a seleção brasileira garantiu por antecipação a vaga nas semifinais. 

Foto - Laura Zago - CBF

Ainda com um jogo a ser disputado nesta primeira fase da competição, a técnica Pia Sundhage deve aproveitar a oportunidade para fazer testes na equipe, visando as partidas decisivas da reta final do campeonato que dá vaga tanto no Mundial quanto na Olimpíada de Paris-2024.

Pia poderá fazer ao menos duas mudanças para o jogo contra o Peru, na quinta-feira. Isso porque a zagueira Rafaelle e a meia-campista Angelina vão cumprir suspensão. Angelina deve ser substituída por Luana, a quem Pia citou diretamente após a goleada sobre a Venzuela por 4 a 0, na segunda.

"Em relação à Luana, ela não tem jogado muitas partidas, está voltando de lesão, e é muito importante que, para que ela possa ajudar essa equipe, ela ganhe alguns minutos. 

Provavelmente, ela jogará de novo contra o Peru", adiantou a treinadora, indicando o objetivo do teste, visando as grandes competições que a seleção disputará nos próximos anos. "Precisamos de tipos diferentes de meias."

Gabi Portilho também poderá aparecer no meio-campo brasileiro. "Com uma substituição conjunta com a Portilho, é que nós mudamos a tática um pouco (contra a Venezuela)e eu estou muito feliz pela maneira que ela jogou, que foi diferente do primeiro tempo com Kerolin e Adri. 

E esses passos são muito importantes porque, ao enfrentar equipes europeias ou, espero eu, quando formos jogar a Copa do Mundo, precisamos ser táticas."

Para o lugar de Rafaelle, Pia poderá improvisar novamente a lateral Fê Palermo na zaga, ao lado de Kathellen. Outra opção é escalar a titular Tainara, que foi desfalque na segunda porque contraiu covid-19. Se estiver sem sintomas e recuperada, ela poderá voltar ao time contra o Peru.

Em relação ao desempenho da equipe na segunda, Pia foi só elogios. "É difícil marcar gols, e a Venezuela complicou essa tarefa para nós no primeiro tempo. Mas estou muito feliz de ver como nossas jogadoras permaneceram conectadas. 

Debinha, por exemplo, está criando muitos espaços e ajudando muito suas companheiras. Marcamos quatro gols fantásticos, somamos três pontos e estamos prontas para enfrentar o Peru e jogar a semifinal", comentou.

Fonte: Estdão Conteúdo

Imprimir