Cidadeverde.com
Últimas

Médicos questionam falta de centros de testagem de Covid e equipamentos na UBS da capital

Imprimir

Fotos: Divulgação/CRM-PI

Médicos que atuam nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Teresina relataram que a falta dos centros de testagem para a Covid-19 está provocando um problema de saúde pública, com aumento da positividade nas testagens.

Segundo a categoria, esses pacientes, incluindo idosos com hipertensão, diabéticos, gestantes e crianças, estão sendo atendidos no mesmo local que pessoas com sintomas gripais, trazendo riscos à saúde. O tema foi tratado durante reunião do Fórum Interinstitucional Permanente em Saúde Pública do Estado do Piauí, ocorrida na tarde desta terça-feira (19) e presidida pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-PI).

A vice-presidente do CRM-PI, Dra. Mírian Palha, ressaltou que é preciso separar o atendimento de pessoas com suspeita de Covid-19, em relação aos outros pacientes que buscam atendimento diferente.

“Não é possível que o papel de conter a doença esteja acontecendo de forma inversa, colocando em risco pessoas contaminadas com não contaminadas, inclusive pessoas com graus de comorbidade dentro dessas unidades.  É preciso aparelhar setores somente para atendimento de suspeitos de Covid de pessoas que buscam as unidades para outros atendimentos”, diz

Outro ponto apresentado na reunião é que a falta de organização nos fluxos de atendimentos em muitas UBS da capital vem sobrecarregando as equipes de saúde.

De acordo com a categoria, o número de atendimentos aumentou muito, tendo os médicos que atenderem a todos, sem um limite.  Foi relatado também que em algumas UBS há falta de papel e de impressora, falta de internet, de insumos, como medicamentos e de termômetro, falta de segurança suficiente, havendo relatos de furtos, arrastões e de violência, além da falta de EPIs adequados.

“As UBS de Teresina contam com boa estrutura física, são estrategicamente bem distribuídas geograficamente, mas o que que percebemos com os relatos dos médicos e com fiscalizações que temos realizado nos últimos meses é que a gestão precisa ser revista. É preciso estabelecer um limite de atendimento, pois os médicos chegam a atender uma quantidade de pessoas que gera um desgaste físico e mental preocupantes. É preciso gerar mais segurança e condições de trabalho", acrescenta Mírian Palha.

Ainda segundo o CRM, o diretor do HGV, Dr. Osvaldo Mendes, disse que o hospital terá a ampliação de mais leitos exclusivos para Covid-19, com quatro leitos de UTI.

Já sobre os encaminhamentos da reunião solicitando medidas visando melhorar o atendimento nas UBS, o Conselho informou que serão encaminhados para os gestores da Fundação Municipal de Saúde (FMS), para que as medidas necessárias sejam feitas em curto espaço de tempo, de forma que tanto a população seja protegida contra a contaminação quanto para que médicos.

A reunião conduzida pela vice-presidente do CRM-PI, Dra Mírian Palha Dias Parente, pela Secretária-Geral do CRM-PI, Dra Ana Cláudia Louçana Costa, e pelo Promotor de Justiça do Ministério Público Estadual, Dr. Eny Marcos Pontes, contou com a presença de médicos das UBS, com representantes do DENASUS, OAB-PI, Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Piauí – COSEMS-PI, Crefito, Coren, direção do Hospital Getúlio Vargas e da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Da Redação 
[email protected]

Imprimir