Cidadeverde.com
Últimas

Homem é condenado a prisão por quebrar estação de ônibus em Teresina

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde

Imagem Ilustrativa

O juiz de Direito Auxiliar da 3ª. Vara Criminal de Teresina, Marcus Klinger Madeira de Vasconcelos, em decisão do dia 21 de julho, condenou Rômulo Samuel Santana a quatro anos de prisão e ao pagamento de R$ 14 mil após realizar uma depredação na estação de ônibus, localizada na Avenida Barão de Gurguéia, na cidade de Teresina, e por apresentar nome falso para a polícia.

Segundo o inquérito policial, no dia 30 de janeiro deste ano, por volta das 21h30, Rômulo ingressou em uma estação de ônibus, localizada na Avenida Barão de Gurguéia, bairro Vermelha, zona sul desta capital, e extraiu algumas cantoneiras e peças de fixação dos vidros.

Uma equipe da Guarda Civil estava passando pelo local no momento, e conseguiu realizar a prisão do acusado. Ele foi levado para a Central de Flagrantes de Teresina, onde apresentou outro nome, já que não tinha documentação. Na audiência de custódia, o juiz decidiu manter ele preso, já que não apresentou nenhuma documentação, e logo depois os policiais descobriram que ele apresentou um nome falso e que já tinha passagem por furto.

“Em seu interrogatório, o acusado confessou a prática do delito de furto, narrando que é usuário de droga e que retirou as cantoneiras para vender e usar droga. Assim sendo, tenho por certo que o denunciado foi o autor do fato narrado na inicial, tendo em vista que os depoimentos das testemunhas de acusação (Guardas Civis Municipais) ratificaram as provas colhidas durante a fase investigatória e apontaram para sua autoria. Ademais, o próprio réu confessou a prática do delito, restando assim demonstrada a materialidade e a autoria delitiva”, afirmou o juiz na decisão. 

Rômulo Samuel Santana foi então condenado a quatro anos, três meses e a quatro dias de reclusão e a oito meses e 14 dias de detenção, e ainda terá que pagar R$ 14.422.80 mil de multa quantia que deverá ser depositada em favor do Fundo Penitenciário Nacional.


Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir