Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro joga mal e escapa da derrota para o Brusque graças ao VAR

Imprimir

Em uma manhã que foi irreconhecível, o Cruzeiro contou com uma ajuda do VAR para escapar da quinta derrota no Brasileiro da Série B.

Foto - Cruzeiro - Divulgação

Com direito a gol anulado nos acréscimos, o time mineiro ficou no 0 a 0 com o Brusque neste sábado, no Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC), pela 21ª rodada do campeonato.

"Perguntei se tinha dado dois toques, porque na hora não senti. Senti a grama saindo, mas não senti os dois toques. Mas foram dois lances para checar no VAR, ele não checou. Nesse de infelicidade, ele checou. Mas, bola para frente", disse o frustrado Gabriel Taliari depois do jogo

Apesar de não ganhar há cinco jogos como visitante, o Cruzeiro segue tranquilo na liderança, com 46 pontos, oito a mais que o vice-líder Vasco. Já o Brusque chegou ao quarto empate seguido e, com 24 pontos, perdeu a chance de se distanciar da zona de rebaixamento.

A partida começou muito truncada no Augusto Bauer. Não é a toa os treinadores foram obrigados a fazer mudanças antes dos 25 minutos. No Brusque, o experiente Pará deu lugar para Edilson. Já no Cruzeiro, Giovane Jesus sentiu e foi substituído por Rômulo.

Os dois times erravam muitos passes e por isso poucas chances foram criadas na etapa inicial. O jeito foi apostar na bola parada. Rodolfo Potiguar cobrou falta com força e Rafael defendeu sem rebote. Já Fernandinho aproveitou falta cobrada por Alex Ruan e cabeceou por cima.

A melhor oportunidade do primeiro tempo foi criada pelo Brusque aos 40 minutos. Alex Sandro passou fácil por Zé Ivaldo e rolou para Álvaro bater de primeira.

A bola foi no meio do gol e Rafael espalmou. A resposta do Cruzeiro veio aos 44. Bruno Rodrigues arriscou de fora da área e Jordan defendeu. No rebote, Éverton Alemão chegou antes que Stênio e tirou para a linha de fundo.

Para o segundo tempo, Paulo Pezzolano promoveu a estreia de Chay no lugar de Stênio. O ex-meia do Botafogo foi anunciado no início da semana. A mudança surtiu efeito e o Cruzeiro passou a ser mais presente no campo ofensivo. Faltava acertar o último passe.

Quem criou a primeira chance no segundo tempo foi o Brusque. Aos oito, Alex Ruan finalizou de fora da área e assustou Rafael Cabral. Melhor em campo, o time catarinense levou perigo mais uma vez em chute de Fernandinho, que passou raspando a trave do goleiro celeste.

Nos minutos finais, o Brusque partiu com tudo para cima do Cruzeiro. Jailson tabelou com Patrick dentro da área e chutou na rede pelo lado de fora. Aos 46, Paulo Baya cruzou e a bola explodiu no braço de Lucas Oliveira. O árbitro assinalou pênalti, convertido por Gabriel Taliari.

O gol, porém, foi anulado pelo VAR. Na hora da batida, o jogador do Brusque escorrega e acaba tocando de leve na bola com o pé esquerdo antes da cobrança, concretizando os dois toques.

O lance gerou revolta dos torcedores presentes no Augusto Bauer, que viram Fernando Canesin cabecear nas mãos de Jordan no contra-ataque do Cruzeiro.

O Brusque volta a campo na quinta-feira (4), contra o Sampaio Corrêa, às 19 horas, mais uma vez no Augusto Bauer, em Brusque (SC).

O Cruzeiro joga apenas no próximo sábado (6), quando recebe o Tombense, às 19 horas, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG). As partidas são válidas pela 22ª rodada da Série B.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir