Cidadeverde.com
Esporte

Com reservas, Flamengo goleia Atlético-GO em noite de festa no Maracanã

Imprimir

A torcida do Flamengo, mais uma vez, lotou o Maracanã, um palco já reservado para as festas nas vitórias rubro-negras. Só não esperava ver em campo um time totalmente reserva mostrar um futebol tão bonito e agressivo na goleada por 4 a 1 em cima do Atlético-GO, neste sábado à noite, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Foto: Marcelo Cortes / CRF

O placar foi construído ainda na primeiro tempo, com gols de Lázaro, Marinho, Vidal, de pênalti, e Victor Hugo.

Esta foi a quarta vitória consecutiva na competição, onde o Flamengo começa ameaçar os seus concorrentes. Aparece em quarto lugar, com 33 pontos, atrás apenas de Fluminense (34), Corinthians (38) e Palmeiras (42). 

Antes do jogo, o técnico Dorival Júnior justificou a escalação diferente por conta das duas outras competições importantes que o clube corre atrás do título: a Copa Libertadores e a Copa do Brasil. Na terça-feira, o time carioca estreia nas quartas de final da Libertadores diante do Corinthians, em São Paulo.

"É preciso rodar o elenco, não só para poupar alguns, mas para dar o ritmo a outros ótimos jogadores que temos".

Certamente ele se referia, entre outros, ao meio-campo chileno Vidal, pela primeira vez iniciando um jogo, bem como o atacante Everton Cebolinha, ainda fora de seu melhor condicionamento, além dos garotos do Ninho do Urubu, como Lázaro e Victor Hugo.

O curioso é que os titulares não ganharam folga e todos estavam no banco, sem esconder a vibração para tudo que acontecia dentro de campo.

Os 15 primeiros minutos ainda foram equilibrados, com o Atlético-GO tentando tocar a bola e se fechar na frente da sua linha defensiva. Mas depois os gols saíram em sequência.

O primeiro aos 21 minutos, quando Matheuzinho lançou Victor Hugo pelo lado direito, ele invadiu a área e cruzou rasteiro. Na pequena área, o rápido Lázaro se antecipou à marcação e desviou para as redes. 

No minuto seguinte, Marinho recebeu na frente da área, fez o giro e chutou. O goleiro Ronaldo não esperava, caiu tarde e só resvalou na bola que entrou no seu canto direito.

Marinho sofreu um pênalti aos 26 minutos, após sair em disparada e ser tocado por baixo por Marlon Freitas. Um lance duvidoso em que o árbitro Caio Max Augusto Vieira (RN) só marcou ao ser alertado pelo VAR. 

Os goianos reclamaram bastante, enquanto a torcida gritava pelo nome de Vidal, pronto na marca do pênalti. Ele chutou forte no canto esquerdo e fez 3 a 0, aos 32 minutos.

Naquela altura, o Atlético-GO já estava entregue. O técnico Jorginho Campos ainda tentou mudar a história do jogo com as entradas de Léo Pereira e Airton, dois atacantes, nas vagas de Peglow e Ricardinho.

Mas nada dava certo. Nos acréscimos, o Flamengo ampliou o placar Ayrton Lucas fez bonito lançamento para Victor Hugo, que deu um toque por cima do marcador e na saída do goleiro tocou de leve por cobertura. Um belo gol, aos 49 minutos.

No segundo tempo, até de forma natural, o Flamengo aliviou o ritmo. Passou a tentar as jogadas mais difíceis, as finalizações mais bonitas e toques de efeito para agradar os torcedores. 

Depois dos 20 minutos, Dorival Júnior passou a acionar seu banco de reservas de luxo. Colocou Everton Ribeiro, Thiago Maia, Vitinho, Rodinei e Gabriel Barbosa, o mais aplaudido.

O Atlético-GO se aproveitou e diminuiu num gol duvidoso. Após falta de Churín em cima de Diego, a bola ficou com Wellington Rato que chutou cruzado. O VAR chamou o árbitro, mas ele desconsiderou a possível falta e validou o gol. 

Não deve servir de consolo para um time que sofreu sua sexta derrota consecutiva e continua dentro da zona de rebaixamento, com 17 pontos, em 18º e podendo terminar a rodada na lanterna.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir