Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-GO bate o Nacional-URU mais uma vez e vai à semifinal da Sul-Americana

Imprimir

O Atlético-GO está na inédita semifinal da Copa Sul-Americana. A vaga veio com show de Luiz Fernando, o nome do confronto, e impiedosa vitória por 3 a 0 sobre o Nacional do Uruguai, no Serra Dourada, em Goiânia, nesta terça-feira.

Luis Suárez entrou somente no segundo tempo e pouco fez pelos uruguaios.

Luiz Fernando foi o autor do gol do triunfo no Parque Central, em Montevidéu, na semana passada, por 1 a 0, e nesta terça-feira abriu e fechou o resultado no duelo de volta.

Mas entrou na catimba nos minutos finais e acabou expulso por agressão. Perderá a ida da semifinal contra o vencedor de São Paulo x Ceará. 

Churín também se destacou, com três assistências, uma sem querer. Os visitantes pouco fizeram para tentar reverter o resultado, dominados desde o minuto inicial.

Agora, os comandados de Jorginho tentam repetir o bom resultado da Sul-Americana no Brasileirão, no qual ocupam somente o 18° lugar e hoje estariam rebaixados. No sábado o time visita o Botafogo, antes de defender os 2 a 0 da ida nas quartas da Copa do Brasil diante do Corinthians.

Com vantagem de 1 a 0 conquistada em Montevidéu, o Atlético-GO pisou no gramado do Serra Dourada podendo empatar, mas prometendo não jogar apenas para segurar a vantagem mínima e falando em apresentar um futebol ofensivo.

Do lado uruguaio, a promessa do técnico Pablo Repetto em utilizar o astro Luis Suárez desde o início não se concretizou. O atacante começou o jogo no banco de reservas. Ao lado dos demais suplentes, viu os goianos ampliarem a vantagem no confronto com somente cinco minutos.

Hayner cobrou lateral pela direita direto para a área, a defesa não conseguiu afastar, Churín falhou no domínio, porém a sobra caiu nos pés de Luiz Fernando, que bateu forte para abrir o marcador.

Os gritos de "Atlético, Atlético", eram fortes nas arquibancadas quando o Nacional quase empatou em finalização de Gigliotti. O goleiro Renan, substituto de Ronaldo, fora da temporada por grave lesão, fez bela defesa.

Com 2 a 0 no agregado, o Atlético-GO adotou postura defensiva para explorar a velocidade de Léo Pereira e Luiz Fernando nos contragolpes. Os uruguaios tinham a bola, mas esbarravam na parede rubro-negra. Com somente 32 minutos, Suárez já aquecia na beirada do campo com os demais reservas.

Pressionando em busca do empate, o Nacional acabou pagando caro por mandar todo o time ao ataque. Roubada de bola no meio e contragolpe mortal antes do intervalo. Churín recebeu livre e teve calma para servir Baralhas, que bateu cruzado e ampliou.

O Nacional precisava de três gols nos 45 minutos finais para levar a decisão para os pênaltis. E na entrada de Suárez estava depositada a confiança dos uruguaios. O astro nem bem pegou na bola e viu Luiz Fernando ampliar para 3 a 0.

Churín novamente teve participação importante ao roubar a bola e servir o herói do confronto, que bateu com categoria, por entre as pernas do zagueiro e sem chances para o goleiro Rochet.

Já pensando na sequência da temporada, Jorginho sacou seu xará e o argentino Churín, outro destaque da noite, na metade da segunda etapa.

A ordem era apenas administrar o placar gigantesco. Suárez ainda teve uma chance, mas parou em boa defesa de Renan. O goleiro ainda trabalharia bem antes do apito final e grande festa entre os brasileiros.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir