Cidadeverde.com
Entretenimento

Artistas homenageiam Maria da Inglaterra com "coroa de rainha" em mural gigante

Imprimir
  • WhatsApp_Image_2022-08-11_at_10_37_37_(2).jpeg Renato Andrade
  • WhatsApp_Image_2022-08-11_at_10_37_37_(1).jpeg Renato Andrade
  • WhatsApp_Image_2022-08-11_at_10_37_36_(2).jpeg Renato Andrade
  • WhatsApp_Image_2022-08-11_at_10_37_36_(1).jpeg Renato Andrade

A artista piauiense Maria da Inglaterra foi homenageada, nesta quinta-feira (11/08), em um projeto de "Coleção Afrofuturista na Periferia" idealizado pela Associação de Amigos da Arte e da Cultura do Piauí. A piauiense foi retratada em uma arte de dois metros de altura por três de largura na rua Correia do Couto, no Parque Ideal, na região do Grande Dirceu. 

A designer responsável, conhecida como Mica, conversou com o Cidadeverde.com sobre o projeto e como pensou em homenagear Maria da Inglaterra no bairro onde mora. Para Mica, a história por trás de como Maria da Inglaterra começou a cantar foi o que a motivou a pensar nos elementos da arte. 

“Quando pesquisei sobre ela, vi que se repetia uma história de quando ela começou a cantar. Ela dizia que um dia estava em casa e viu uma luz vermelha e que começou a ouvir vozes dizendo que era para ela cantar. Aquilo pareceu muito com história do interior sobre discos voadores. E, além disso, tem relação com o espiritual e o afrofuturismo tem isso também”, destacou Mica. 

Na arte idealizada por Mica há elementos que representam a música mais famosa de Maria da Inglaterra e do Nordeste. “E como ela também tem o nome de uma rainha eu quis colocar essa coroa que também é uma estética do afrofuturista, que é a coisa da realeza africana”, acrescentou Mica. 

Foto: Arquivo Cidadeverde.com 

Maria da Inglaterra

Personalidade popular e querida em todo o estado do Piauí, Maria da Inglaterra era muito considerada por seu talento e sabedoria no modo de viver. Em 1975, foi descoberta por Ricardo Cravo Albin, quando, em viagem pelo Brasil através do PAC - Plano de Ação Cultural do Ministério da Educação e Cultura - berço da futura FUNARTE, atraves do projeto História da Música Popular Basileira "De Chiquinha Gonzaga a Paulinho da Viola". 

Na ocasião, o pesquisador, impressionado com sua postura, que evocava ares de nobreza, a apelidou de Maria da Inglaterra, dando-lhe assim o nome artístico com o qual ficou conhecida por todos. Sua música penetra, inclusive, nas regões interiores próximas ao seu estado natal. Começou a cantar para o público aos 26 anos, tendo Luiz Gonzaga como ídolo. 

Natural de Luzilândia, no interior do Piauí, Maria da Inglaterra é uma das maiores referências da música e do folclore piauiense e tem cerca de 2000 composições. 

Maria da Inglaterra morreu aos 81 anos no dia 8 de maio de 2020. Ela estava internada há cinco dias no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e a causa da morte foi doença renal crônica aguda. 

Projeto Coleção Afrofuturista 

A Associação de Amigos da Arte e da Cultura do Piauí iniciou um projeto de coleção afrofuturista na periferia de Teresina no dia 29 de maio. O projeto visa estampar muros com personalidades da cultura negra do estado. A primeira homenageada foi Francisca Trindade, seguida de Esperança Garcia. 

“Ao final do projeto teremos criado sete murais. A gente seleciona um artista e a partir da ilustração dele a gente imprime e realiza a intervenção em lambe. Queremos levar a multidimensionalidade do movimento afrofuturista com arte urbana para as periferias”, ressaltou Antonio Filho, engenheiro civil e designer projetista do projeto. 

Os próximos homenageados serão o Mestre Severo, Júlio Romão, Katia Tapety e Luzia Amelia, em locais ainda a serem definidos pela Associação. 

 

Nataniel Lima
[email protected] 

  • IMG_7701.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • trindade2.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • trindade.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • traindade3.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • esperança_garcia4.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • esperança_garcia.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • esperança_garcia_3.JPG Divulgação / Afrofuturismo
  • esperança_garcia_2.JPG Divulgação / Afrofuturismo
Imprimir