Cidadeverde.com
Entretenimento

Karina Bacchi é criticada por condenar reação de Ewbank após racismo em Portugal

Imprimir

 

 

Karina Bacchi, 45, está causando mais uma vez na internet. Sem citar nomes, a apresentadora fez uma crítica que pareceu direcionada a Giovanna Ewbank, 35, por defender os filhos Titi e Bless dos ataques racistas de uma mulher branca em Portugal, no final do mês passado.

"Essa semana eu estava conversando com amigas. Teve um caso que apareceu na mídia de uma mãe que parece que os filhos sofreram preconceito", disse no podcast Positivamente. "Ela para defender os filhos, xingou muito aquela pessoa, cuspiu, bateu e todo mundo a favor daquela pessoa. 'Poxa, que máximo! Ela fez é pouco porque uma mãe leoa faz isso, tem que fazer isso para defender o filho'."

"Eu concordo que a gente tem que defender os nossos filhos, mas eu não acredito que a defesa esteja em cuspir, em xingar, em bater, em agredir e o povo achando que a pessoa fez pouco", continuou. "Eu acho que a gente tem que defender os nossos filhos, mas que exemplo a gente está dando nas nossas reações, na forma da gente reagir? Então, o mundo está aplaudindo isso e achando um máximo. Isso me choca também."

O Positivamente é apresentado por Karina e, nesta semana, recebeu Cris Poli (a Supernanny) como convidada. Na descrição do episódio, é informado que o bate-papo "sem dúvida fará toda a diferença na vida de inúmeras famílias positivas". "Cheio de boas reflexões sobre criação, referências e conflitos de gerações, o encontro aborda temas que, sem dúvida, muita gente jamais pensou", diz o texto.

Os comentários receberam duras críticas na internet. Giovanna Ewbank não se manifestou sobre o assunto, assim como seu marido, o ator Bruno Gagliasso.

O caso de racismo aconteceu no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, no dia 30 de julho. Giovanna e Bruno estavam no local com seus filhos, que brincavam na praia, e perceberam o que havia acontecido quando uma das crianças contou o episódio.

Bruno diz que viu o gerente pedindo para uma mulher ir embora, e então o casal a ouviu se negando a ir embora e falando ofensas raciais, como "pretos imundos", "voltem para África", "voltem para o Brasil" e "Portugal não é lugar para vocês". O ator imediatamente chamou a polícia, enquanto Giovanna gritava com a mulher.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir