Cidadeverde.com
Política

Bolsonaro diz que críticas a política ambiental são por disputas comerciais

Imprimir

Foto: Isác Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, em entrevista ao podcast Cara a Tapa, do jornalista Rica Perrone, que as críticas internacionais em relação à gestão ambiental do Brasil durante o seu governo é por disputas comerciais relacionadas às commodities. O presidente sugeriu que alguns países usam essas críticas para convencer os parceiros do Brasil a não comprarem mais os produtos brasileiros.

Bolsonaro voltou a criticar a França, que recentemente foi atacada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que chamou o país de irrelevante. "Tem mais de 30 dias de incêndio na França, que é quase metade do Pará. Macron não consegue controlar o incêndio lá? Quem comanda política ambiental contra Brasil é França e Noruega", disse, completando que a Amazônia não pega fogo "para valer". "É floresta úmida."

Segundo dados do Deter, sistema do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre agosto de 2021 e julho deste ano, o desmatamento na Amazônia foi de 8.590 quilômetros quadrados, um pouco abaixo de 2021 (8.780 quilômetros quadrados)

Bolsonaro ainda voltou a dizer que não confia nas pesquisas eleitorais. Ele repetiu que as pesquisas do Datafolha erraram na sua eleição em 2018. As pesquisas mais recentes de intenção de voto mostram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na frente, mas têm apontado aproximação do atual chefe do Planalto

BB

O presidente disse que "briga" com o Banco do Brasil devido aos empréstimos para os produtores agropecuários.

"Empréstimo para o agro geralmente não é fácil também. É uma briga nossa com o BB, não é minha briga, não interfiro no BB, mas falo que o pessoal do campo está reclamando", disse. "A Caixa estava entrando no agro, mas não tem expertise, mas está colaborando, principalmente na agricultura familiar", completou.

O Banco do Brasil é líder isolado no crédito para o agronegócio, mas o ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães, exonerado a pedido após denúncias de assédio no banco, tinha uma estratégia agressiva para aumentar a participação no setor, o que trouxe animosidade nos bastidores entre os dois bancos públicos. Agora, a nova presidente, Daniella Marques, tem dito que a vocação da Caixa é o crédito imobiliário, e do BB, o agro.

Lobby

Ele também reclamou do lobby do setor de combustíveis.

"Você não sabe o que é brigar com o lobby dos combustíveis. É muito mais fácil estar do outro lado do balcão em Brasília", disse Bolsonaro, em meio a críticas à imprensa.

Em outro momento, o presidente afirmou que o Brasil não é autossuficiente em petróleo, porque não tem refino da commodity. Segundo ele, isso acontece porque "um cara lá atrás", não terminou três refinarias e "enterrou" R$ 100 bilhões.

Bolsonaro ainda voltou a dizer que está em fase final a negociação com a Rússia para o fornecimento do diesel para o País.

O presidente também criticou governos de esquerda. "Socialismo prega a igualdade, mas todo mundo sabe que é a miséria". Ele citou problemas em países como Colômbia e Chile, que recentemente elegerem governos de esquerda, e também a Argentina "Inflação mensal da Argentina está equivalente à nossa anual."

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir