Cidadeverde.com
Cidades

Corpo da 5ª criança é encontrado às margens do rio; mãe faz reconhecimento

Imprimir
  • iml_teresina_pi_foto_do_renato.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • regatww.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_01.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_034.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgates_01.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_03.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_05.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_0344.jpg Renato Andrade/Cidadeverde
  • resgate_03343.jpg Renato Andrade/Cidadeverde

Equipes do Corpo de Bombeiros enceraram as buscas das cinco crianças e adolescentes que desapareceram nas água do rio Parnaíba, em Nazária ( a 35 km de Teresina). O último corpo foi encontrado a cerca de 12km do local da tragédia na zona rural de Teresina. 

O corpo encontrado foi de Ana Ketlelly da Conceição Silva, de 11 anos. Assim como a irmã, Eduarda Kemylly da Conceição Silva, de 9 anos, o corpo estava preso em galhos às margens do rio Parnaíba. Os corpos das duas irmãs serão encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML).

“As duas irmãs já estão para o IML. Agora é torcer para que não tenha outra tragédia como essa e que as pessoas tenham cuidado com as crianças, se prepararem. Se verem que alguém vai se afundar, procurem algo que flutue”, destacou o coronel Emídio Oliveira.

O afogamento aconteceu no domingo (28). O primeiro corpo a ser resgatado foi Marcos Vinicius Santos, de 8 anos, no início da manhã de segunda-feira (29). Logo depois, por volta das 11h, foi resgatado o corpo da irmã dele, Vitória Emanuelle, de 13 anos. Por volta das 12h30 foi resgatado José da Cruz Alves, de 15 anos, que é primo das vítimas.

Na tarde de segunda-feira, o Instituto de Medicina Legal liberou os três corpos, que foram sepultados na manhã de hoje em Nazária.

Foto: Reprodução redes sociais

Marcos Vinicius Santos e a irmã Vitória Emanuelle, José da Cruz Alves, e as irmãs Eduarda Kemylly e Ana Ketlelly

Atualizada às 10h50

O corpo de Eduarda Kemylly, de 9 anos, foi encontrado  na manhã desta terça-feira (30) por moradores do povoado Cerâmica Cil, zona rural de Teresina. A criança é uma das cinco pessoas da mesma família que desapareceram no último domingo após se afogarem no rio Parnaíba, no município de Nazária (a 35 km de Teresina). 

Segundo moradores, o corpo de Eduarda estava preso em galhos de árvores na margem do rio. o local fica distante cerca de 9 km do ponto onde a tragédia aconteceu. 

“Resgatei com meu cunhado e trouxemos para coroa para os animais não devorar. Acionamos os policiais e os bombeiros que vieram resgatar”, destacou o pescador João da Cruz, um dos moradores que localizou o corpo da criança. 

A mãe de Eduarda, Francisca Danielle, esteve no local e fez o reconhecimento do corpo antes que a equipe do Instituto de Medicina Legal fizesse a remoção. 

O coronel do Corpo de Bombeiros, Emídio Oliveira, destacou que a vítima de afogamento estava enganchada na margem do rio pela roupa. 

“Vamos entregar o corpo para o IML e voltar para o rio para localizar a outra irmã”, acrescentou o coronel.

Os trabalhos agora serão focados para localizar o o corpo de Ana Ketlelly da Conceição Silva, de 11 anos.

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com 

 

Os trabalhos de buscas  começaram por volta das 6h da manhã.

"São duas equipes que retornaram para o local e continuam as buscas", informou o coronel José Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros. 

Ontem, três corpos já foram localizados no rio Parnaíba. O primeiro corpo encontrado foi o de Marcos Vinícius, de 8 anos. A segunda criança resgatada foi Vitória Emanuelle, de 13 anos. E o terceiro corpo encontrado foi do adolescente José Cruz, de 15 anos. 

Todos os envolvidos na tragédia são da mesma família. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com 

O caso 

Cinco crianças e adolescentes – na faixa etária de 8 anos a 16 anos – desapareceram na tarde de domingo (28) no rio Parnaíba, na cidade de Nazária (distante 35 km  de Teresina). 

As crianças e adolescentes estavam tomando banho na coroa do Rio Parnaíba com os familiares quando desapareceram. 

Assista reportagem aqui:

 


Natanael Souza e Nataniel Lima 
[email protected] 

Imprimir