Cidadeverde.com
Esporte

Jorginho almeja trabalho longo no Vasco e busca recorde de Renato Gaúcho

Imprimir

Jorginho chegou ao Vasco com um contrato curto, válido apenas até o fim da Série B, mas a vontade dele é cumprir a missão do acesso à elite e continuar por "muito tempo" no comando vascaíno, como disse em sua apresentação oficial nesta quarta-feira. 

Bebeto Sauthier, Jorginho e Joelton Urtiga no 1º dia no Vasco (Foto: Daniel Ramalho/ Vasco)

Junto a isso, almeja se tornar o técnico que mais comandou o Vasco neste século. Atualmente, o recordista é Renato Gaúcho, com 136 partidas como treinador do time cruzmaltino contra 97 de Jorginho. Na história, quem mais comandou a equipe foi Antonio Lopes, em mais de 600 jogos.

"Aqui é minha casa, joguei dois anos aqui. Fui treinador em 2015, 2016 e 2018. 2015 e 2016 foi um ano muito melhor do que os outros para a gente, conquista do Carioca invicto. A gente conseguiu ganhar de todas essas equipes. 

´Voltar é uma satisfação muito grande para mim, planejo ficar aqui muito tempo, quero ultrapassar o Renato (Gaúcho) em jogos oficiais. O objetivo, naturalmente, é um trabalho de longo prazo, não ficar aqui por apenas dois meses", afirmou o treinador.

A primeira partida de Jorginho no retorno ao Vasco será justamente diante de Renato Gaúcho, que também acabou de voltar ao Grêmio e fará sua estreia no domingo, quando os dois times se enfrentam na arena gremista, pela 29ª rodada da Série B.

O time porto-alegrense é o terceiro colocado, com 47 pontos, dois a mais que a equipe carioca, que está em quarto, com 45.

"O que falei ontem na apresentação é que precisamos ter coragem. Primeira coisa que quero dos meus jogadores é justamente essa confiança, essa coragem de jogar. Torcida não vai entrar em campo, vai empurrar, gritar", disse Jorginho.

"É isso, temos que acreditar o Vasco é grande em casa, grande fora de casa e precisa ser grande em todos os lugares. O Vasco tem uma mescla muito interessante de jogadores jovens e experientes", completou

Esta é a terceira passagem do técnico de 58 anos pelo Vasco, comandado por ele pela última vez em 2018. A primeira experiência foi entre 2015 e 2016, ano em que foi campeão carioca e conquistou o acesso à Série do Brasileirão.

Demitido do Atlético-GO no dia 27 de agosto, Jorginho ficou menos de duas semanas desempregado. No clube goiano, brigou contra o rebaixamento no Brasileirão o tempo inteiro, mas teve bons momentos na Copa do Brasil e na Sul-Americana.

Depois de ser eliminado pelo Corinthians no mata-mata nacional, empatar com o Cuiabá e perder o clássico para o Goiás em seguida, acabou dispensado.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir