Cidadeverde.com
Cidades

Segurança forma policiais para combater facções na divisa entre Piauí e Maranhão

Imprimir
  • FORMATURA_1_(9).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(8).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(7).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(6).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(5).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(4).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(3).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(2).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí
  • FORMATURA_1_(1).jpg Gabriel Paulino/Governo do Piauí

A Secretária de Segurança do Piauí concluiu nesta segunda-feira (12) a formação de policiais militares do Piauí que irão atuar de forma integrada com a Policia Militar do Maranhão no combate às facções criminosas que atuam entre os dois estados. 

Segundo o secretário de Segurança, Coronel Rubens Pereira, está é a segunda turma formada. São 33 agentes do Piauí e 33 do Maranhão, totalizando 66 novos policiais atuando nas dívidas entre os estados. 

“A divisa do Piauí com o Maranhão é muito grande, o que nos separa é um rio. Essa segurança tem que ser feito de forma planejada. Queremos um nivelamento, que os dois lados tenham o mesmo nível de instrução e treinamento”, explicou o gestor. 

Segundo Rubens Pereira, a principal responsabilidade do grupo será o combate às organizações criminosas que usam as cidades na divisa ente Piauí e Maranhão como rota para o tráfico de drogas. 

“Há uma preocupação do governo federal com as forças que atuam nas fronteiras, mas também temos que nos preocupar regionalmente, porque essa droga está passando e as vezes ficando. Temos essa preocupação e estamos fazendo essa integração”, destacou. 

Para o secretário, a instalação da Força Integrada contribuirá para que os estados sejam menos dependentes do Exército em situações de crise na segurança. 

“A ideia é essa de que onde houver necessidade não precisar mais o governador do Maranhão e do Piauí chamarem o Governo Federal. Quando há um conflito no estado, uma crise, chama a Força Nacional, não, agora temos uma Força Estadual”, frisou. 

Foto: Gabriel Paulino/Governo do Piauí 

TERMO DE COOPERAÇÃO 

O secretário ainda acrescentou que o governo estuda formalizar ainda mais a integração entre as polícias. Os governos analisam formalizar a integração com um termo de cooperação para que a Força Integrada do Piauí possa atuar também no Maranhão e a Força Integrada do Maranhão possa atuar no Piauí. 

“Para isso ainda estamos consultando a PGE e é necessário que essas unidades federadas façam esse esforço”, destacou. 

CENTRAL DE MONITORAMENTO 

A governadora Regina Sousa (PT) destacou os investimentos do estado em infraestrutura e tecnologia para dar apoio a atuação do contingente. Segundo ela, o objetivo é instalar uma central de monitoramento no Piauí. 

“Tem um processo em andamento, que o do monitoramento eletrônico, que ainda não é satisfatório, mas já tem uma licitação para adquirir câmeras e pessoas para vigiar as pessoas no quatro cantos da cidade e que possam acionar o policial”, declarou. 

 

 

 

 

 

 


Flash Paula Sampaio 
[email protected] 

Imprimir