Cidadeverde.com
Esporte

Flamengo vai até o limite, esbarra no desgaste e perde fôlego no Brasileiro

Imprimir

Vivo em três competições, o Flamengo utilizou uma formação mista para encarar o Goiás, como tem feito no Brasileiro. Mas parece que o limite chegou.

Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Com um forte de calor acima dos 30ºC, que provocou duas paradas no jogo para os jogadores beberem água, a equipe martelou para tentar marcar, saiu atrás e ainda achou forças para buscar o empate - aos 39 do segundo tempo - por 1 a 1 na noite de ontem (11), no Hailé Pinheiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A igualdade conquistada fora de casa, no entanto, não foi boa para o clube. Depois de iniciar a rodada na vice-liderança e a sete pontos do Palmeiras, o Fla foi ultrapassado pelo Internacional, caindo para o terceiro lugar, com 45 pontos, nove a menos que o Alviverde, líder isolado do torneio.

Para Dorival, essa mescla nos titulares acontece por causa do rigoroso calendário que o clube tem. Na coletiva após o duelo, o treinador fez questão de reforçar este ponto, citando ainda o empate por 1 a 1 contra o Ceará na rodada anterior.

"Temos pensado muito em todas as situações. Arrascaeta jogaria quatro partidas em sequência e estamos tentando evitar que uma situação se agrave, para que não aconteça o que tem acontecido, sempre um jogador saindo com uma fisgada. Isso mostra o quanto é desgastante e, por isso, estamos tendo todo cuidado possível", comentou.

"O número de jogos absurdos, isso aí a gente já não vai mais falar. Tem minado a capacidade das equipes de restabelecerem os seus times principais. A prova disso é o São Paulo hoje ter jogado com uma equipe totalmente modificada. Será que nós estávamos errados esse período todo que assim o fizemos? 

Exigiram a equipe principal contra o Ceará. Se tivéssemos feito, vocês viram a exigência do jogo contra o Vélez no meio da semana? Será que teríamos o fôlego que tivemos para virar aquela partida? É por isso que eu questiono muito e sigo aquilo que todos nós programamos internamente. Temos um departamento que trabalha única e exclusivamente com isso e nos respalda com muitos dados", emendou.

Apesar disso, Dorival evita jogar a toalha no Brasileirão. Apegado ao histórico rubro-negro, que saiu do 14ª lugar após a 23ª rodada em 2009 para o título, o treinador aponta que seguirá revezando os titulares e que confia na estratégia.

"Temos 11 rodadas a serem jogadas e tudo pode acontecer, assim como o Palmeiras pode confirmar sua condição. Vocês já viram muitas viradas, como o próprio Flamengo em 2009 e em 2020.

Então, vamos ter calma, paciência e continuar trabalhando com os pés no chão e os números que nos são passados. Em respeito ao torcedor, tento colocar a equipe possível em campo, sempre tentando dar uma resposta", concluiu.

Na quarta (14), às 21h45, o Fla já volta a campo, justamente para encarar o outro clube que ainda disputa três torneios em 2022, o São Paulo. Com a vantagem de ter ganho a ida no Morumbi por 3 a 1, o Mengo entra no Maracanã podendo perder por até um gol de diferença para chegar na final da Copa do Brasil.

Fonte: UOL-FOLHAPRESS

Imprimir