Cidadeverde.com
Política

Meu engajamento aumentou, comemora candidata após registro indeferido

Imprimir

A candidata do PSC ao governo do Piauí, Gessy Lima, afirmou nesta terça-feira (13) que vem sofrendo perseguição para não disputar as eleições 2022. Ontem, o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) cassou o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) do seu partido em virtude de irregularidades. Com isso, todas os registros de candidatura da sigla foram indeferidos, inclusive a majoritária. A decisão repercutiu e, segundo Gessy, a deixou conhecida em todo o Piauí.

"Ontem eu fiquei conhecida em todo o Piauí pela divulgação desse indeferimento do registro e acredite: meu engajamento aumentou. Mais pessoas vieram saber quem é a Gessy, mais pessoas abraçaram a causa da Gessy por entender que, de fato, eu sofro essa perseguição", afirmou a candidata em entrevista à TV Cidade Verde.

A candidata ressaltou que sofre uma retaliação e uma tentativa de impedi-la de chegar ao governo do estado. “Não tenho o poder econômico, mas temos uma abundância de apoio e desejo de mudar essa realidade”, declarou.

Sobre o PSC

Gessy garantiu que tem um bom relacionamento com a executiva nacional do PSC e entende a não liberação de recursos.

“Temos uma relação muito boa. A gente sempre teve um diálogo muito bom, mas o partido precisa obedecer ao que a lei eleitoral diz: até sair o deferimento eles não depositam o fundo, mas isso não tem sido nenhum fator limitante”, declarou.

Foto: Breno Moreno

Outro palanque

A candidata descartou apoiar outro candidato caso o TSE confirme o indeferimento do seu registro.

“Está fora dos planos. Não trabalho com plano B, eu tenho um plano A. Eu não entrei na disputa para brincar. Eu entendo a seriedade do processo eleitoral, sei que os meus adversários são poderosos, mas aqui vamos mostrar que somos diferentes”, finalizou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir