Cidadeverde.com
Esporte

Aaron Rodgers, astro da NFL, defende uso de chá alucinógeno

Imprimir

Foto: Reprodução/YouTube

Aaron Rodgers, quarterback do Green Bay Packers, tem sido protagonista de polêmicas nos últimos tempos. Durante a pandemia da Covid-19, o jogador se posicionou contra a vacina e, agora, defendeu o uso de ayahuasca, um chá alucinógeno. No passado, o atleta já declarou que ingeriu o líquido.

O assunto veio à tona após a vitória da sua equipe contra o Chicago Bears, no último domingo (18). Durante a comemoração de um touchdown, colegas de Rodgers fizeram referência ao uso do chá. Em uma entrevista dada à uma TV nesta terça-feira (20), o quarterback defendeu que ayahuasca não é uma droga.

"Ayahuasca não é uma droga. Tem propriedades alucinógenas. Mas não é uma droga. Estamos falando de plantas aqui, esse é um ponto muito importante a ser feito. É assim que as palavras são usadas para criar preconceito contra certas coisas. É importante ir contra essa tangente ridícula de como as palavras são usadas para discriminar. Esses preconceitos criam medos, e esses medos impedem as pessoas de fazer sua própria pesquisa ou ter sua própria ideia sobre algo", disse o atleta.

O chá é feito de folhas amazônicas e contém dimetiltriptamina, substância que é responsável por provocar efeitos psicodélicos e tem seu uso liberado no Brasil, mas não nos Estados Unidos.
MVP [jogador mais valioso] da última temporada da NFL, Aaron Rodgers atribuiu ao chá o bom desempenho que lhe garantiu os dois prêmios consecutivos. A afirmação foi feita durante sua participação em um podcast antes do início da atual temporada.

"Eu realmente sinto que essa experiência abriu o caminho para eu ter a melhor temporada da minha carreira [...] O maior presente que posso dar aos meus companheiros de equipe, na minha opinião, é poder aparecer e ser alguém que pode modelar o amor incondicional para eles. Quero dizer, obviamente, é importante que eu jogue bem, apareça e lidere e todas essas coisas. Eles não vão se importar com o que você diz até que saibam o quanto você se importa", disse.

Fonte: Folhapress

Imprimir