Cidadeverde.com
Política

“Vamos governar para todos e todas”, disse governador eleito Rafael Fonteles

Imprimir

Foto: Roberta Aline

Atualizada às 23h

O candidato eleito, Rafael Fonteles (PT), afirmou na noite deste domingo (2) que vai governar para todos no  discurso após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmar sua vitória no primeiro turno. 

“A eleição acabou e vamos governar  para todos e todas”, disse Rafael Fonteles. 

Rafael Fonteles chegou por volta das 22h da noite deste domingo (02), ao lado do pai Nazareno Fonteles, no comitê de campanha, onde apoiadores acompanharam a apuração de votos. 

O ex-secretário de Fazenda chegou a se emocionar ao falar do pai e foi ovacionado aos gritos. 

Rafael Fonteles afirmou que a vitória em primeiro turno já era esperada, mas admitiu ter ficado com um “frio na barriga” até o último minuto. 

Foto: Renato Andrade

Ele também destacou que vai priorizar ações para os mais pobres e vulneráveis. Sobre secretariado, disse que será  “perfil técnico e compromisso político e social”. 

“Muito gratidão a cada homem e mulher que votou em mim, vamos cuidar de todos e todas. A eleição acabou, o resultado está consolidado e eu estou pronto para cuidar do povo do Piauí. A gente estava confiante da vitória, mas sempre com um frio na barriga, mas o que vale é o voto que sai da urna e agora são mais de 1,5 milhão de votos. Muita gratidão”, disse.

Rafael Fonteles destacou que o próximo passo é compor uma equipe de transição junto a governadora Regina Sousa (PT) e adiantou o perfil que buscará para o secretariado a ser escolhido. 

“A gente vai procurar realmente ter um secretariado com perfil nosso de muita competência técnica”, afirmou.

Ele também falou sobre a prospecção que faz para a gestão que fará em 2023, cujo a projeção do Governo do Estado é de um orçamento reduzido, devido ao teto do ICMS. 

“A dificuldade maior foi a pandemia e enfrentar um governo federal perseguidor, tenho muita fé em Deus que Lula vai vencer no segundo turno, vamos dar conta do recado junto com o povo do Piauí e do Brasil”, disse. 

Intitulando-se como uma “segunda geração do PT”, o ex-secretário também disse não ter caído de paraquedas no governo e ressaltou estar preparado para governar o estado. 

“Ser governador de um estado com mais de 3 milhões de pessoas sempre foi um desafio, mas nós nos prepararmos para isso. A gente não caiu de paraquedas, temos uma história e abraçamos essa missão de corpo e alma”, disse.

Em discurso, Rafael Fonteles pediu para que apoiadores não respondam às provocações feitas por adversários e, mais uma vez, falou sobre o processo de transição. 

“Eu sei que dá vontade de responder as provocações, teve gente que ganhou muito dinheiro com aposta. Mas, não é hora de responder ninguém é hora da gente comemorar”, destacou. 

Rafael Fonteles também fez agradecimentos. Ele citou o pai, Nazareno Fonteles, o ex-governador Wellington Dias e Regina Sousa. Ele destacou que ela abriu mão de ser candidata e o apoio para o governo. 

Dedicar de corpo e alma para eleger o Lula

O candidato eleito afirmou que vai trabalhar para eleger o ex-presidente Lula no segundo turno das eleições.  No estado, mais de 74% do eleitorado votou no Lula. 

“Vamos dedicar de corpo e alma para eleger o Lula. Não tem tempo para descansar. A turma do Bolsonaro não brinca em serviço, mas uma vez as fake News fizeram efeito nos estados da região Sudeste e de novo teve uma votação surpreendente de candidatos bolsonaristas em São Paulo,  Rio de Janeiro e Minas Gerais. No Nordeste, vamos manter a trincheira de resistência contra esse mal bolsonarista”, disse Rafael Fonteles, que conta com apoio do ex-governador Wellington Dias (PT) que foi eleito Senador. 

Foto: Alysson Dinis

 

Atualizada às 20h

Com a união de nove partidos, o PT acaba de eleger o ex-secretário Estadual de Fazenda, Rafael Tajra Fonteles, 37 anos, o novo governador do Piauí. 

Com 100% das urnas apuradas, o petista contabiliza mais de 1.115.139 votos  (57%) dos votos válidos contra 811 mil votos (41%) do candidato do União Brasil, Sílvio Mendes. Com a vitória de Rafael Fonteles, o Partido dos Trabalhadores mantém a hegemonia de 19 anos no poder. 

Veja apuração aqui

Filho de um dos fundadores do PT no estado, Fonteles teve como aliado o ex-governador Wellington Dias (PT), eleito em quatro mandados, e com apoio do ex-presidente Lula.   

Na campanha, o desafio foi tornar Rafael conhecido no estado. Mesmo com a projeção nacional de ser o  presidente do Comsefaz (Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos 27 Estados), por dois mandatos, Rafael era desconhecido no Piauí. A campanha focou na rede social, o corpo a corpo na rua e o programa eleitoral na TV e Rádio. Outra missão da campanha foi atrelar Rafael a imagem do ex-presidente Lula. 

Rafael Fonteles garantiu que na reta final da campanha cerca de 80% da população piauiense já tinha conhecimento que ele é o candidato do Lula.

O principal adversário político do petista foi o ex-prefeito de Teresina, Sílvio Mendes (União Brasil). O grupo oposicionista teve como aliado o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. A chapa de Sílvio tem como vice a ex-mulher de Ciro Nogueira, Iracema Portela (Progresistas).  

Rafael Fonteles nunca disputou cargo eletivo e tem experiência na iniciativa privada. É bacharel em Matemática pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), curso concluído aos 19 anos.

É Mestre em Economia Matemática pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA-RJ), concluído aos 21 anos. Premiado em Olimpíadas Internacionais de Química (2002), Física (2002) e Matemática (2004) na Holanda, Indonésia e Macedônia, respectivamente.

Foi professor de Matemática do Instituto Dom Barreto. Foi secretário estadual da Fazenda do Piauí de janeiro de 2015 a 31 de março de 2022, e coordenador do PRO-Piauí, o maior programa de investimentos do governo estadual, movimentando mais de R$ 4 bilhões.

A candidatura de Rafael Fonteles uniu a ala governista com apoio do PCdoB, PV, MDB, PSD, Solidariedade, PSB, Pros e Agir. 

Ao ser eleito, aponta como prioridade a geração de emprego e renda, ampliação de escolas por tempo integral, combate as facções criminosas e melhorar a qualidade do serviço público.  

No Piauí, disputaram nove candidaturas. Dois registros foram cassados, o da Gessy Lima (PSC) e Lourdes Melo (PCO) e houve a desistência da candidatura do coronel Diego Melo (PL).  Foram mantidas as candidaturas de Geraldo Carvalho (PSTU), Gustavo Henrique (Patriota), Ravenna Castro (PMN) e Madalena Nunes (Psol). 

 

 

Flash Yala Sena e Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir