Cidadeverde.com
Vida Saudável

Outubro Rosa: Mulheres com câncer de mama passam por expressões emocionais semelhantes às do luto

Imprimir


Foto: Freepik



O mês de Outubro é marcado pela campanha de conscientização das mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero: Outubro Rosa. Além das questões médicas, é importante que a atenção esteja voltada também para a saúde mental delas. Ao lidarem com as incertezas que um diagnóstico de câncer traz, essas pacientes costumam passar por expressões emocionais similares às do luto, que vão desde a negação até a aceitação. 

De acordo com a psicóloga Luciene Bandeira, a principal angústia das mulheres que descobrem um câncer de mama é o risco de morte, vivendo algo como um “luto de si mesma”.

“Após o diagnóstico, existe a possibilidade de a pessoa ter sentimentos ou expressões emocionais de negação e não aceitação, com possível omissão da família, quando as mulheres lidam de forma próxima com a possibilidade de morte, com dúvidas sobre a eficácia do tratamento ou o risco de uma recidiva. E é muito difícil lidar com todas essas incertezas sozinha. A psicoterapia é o primeiro ponto de autocuidado que um paciente que descobre um câncer precisa ter com a saúde mental, inclusive é indicada pelos médicos. Durante a consulta é importante expor todos os sentimentos, não só relacionados ao câncer, mas também de outras situações enfrentadas durante a vida como um todo”.  

A autoestima em relação à aparência também é uma preocupação dessas mulheres, devido à queda de cabelo e pelos do corpo e à perda da mama e muitas chegam na psicoterapia se sentindo fisicamente incapazes.

“O apoio de um psicólogo ajuda no enfrentamento do problema. São estimuladas atitudes para a prática da autoestima e da autocompaixão. É preciso acolher e mostrar que há opções positivas para enfrentar a doença e seu tratamento”, explica a especialista.

Também é papel do psicólogo estimular para que a paciente realize diferentes tipos de atividades para que não perca a esperança na vida, pois apesar de ser um dos cânceres de maior índice de mortalidade em mulheres, quando diagnosticado e tratado na fase inicial da doença, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%.

“Atividade física é importante para a saúde mental desses pacientes quando a condição de saúde permite, mesmo que seja uma caminhada no quintal. Isso ajuda a amenizar o impacto do diagnóstico de câncer”, finaliza a psicóloga.

 


Da Redação
[email protected]

Imprimir