Cidadeverde.com
Esporte

São Paulo 'esquece' título perdido, bate América e sonho de Libertadores renasce

Imprimir

O São Paulo fez nesta quinta-feira à noite o "jogo da ressaca", após a perda do título da Copa Sul-Americana para o Independiente Del Valle no fim de semana. E se deu bem. Venceu o América-MG de virada, por 2 a 1, no estádio Independência. 

Foto - Rubens Chiri/Saopaulofc.net

O time fez um bom segundo tempo, mas só conseguiu o gol da vitória, de Alisson, aos 45 minutos da etapa final. Com isso, subiu para o 10º lugar no Campeonato Brasileiro, com 40 pontos. O América, com 42, é o oitavo.

O São Paulo começou com Rafinha como um terceiro zagueiro e Igor Vinícius posicionado como ala pela direita. Buscava maior segurança defensiva e mais opções para furar o bloqueio dos mineiros quando ia ao ataque.

O time de Rogério Ceni até ficava mais com a bola. Porém, errava muitos passes e não agredia. O América tentava marcar alto para roubar a bola. Conseguiu algumas vezes, inclusive no lance em que fez o primeiro gol - Alê desarmou Igor Vinícius.

Mas os donos da casa só marcaram porque ganharam um presente de Felipe Alves, que falhou gravemente no chute de Aloísio de fora da área. O goleiro foi atrasado para a bola e permitiu que ela entrasse em seu canto direito.

O jogo tinha apenas 10 minutos, mas não mudou depois do gol. Ao São Paulo continuava faltando objetividade, embora o aproveitamento dos passes tenha melhorado. O América era mais "agudo" quando tinha a bola, mas também tinha dificuldade para completar as jogadas.

Até que o América se desarrumou na marcação e permitiu uma jogada rápida do São Paulo. Rodrigo Nestor lançou para Luciano, que havia feito o corta-luz no início da jogada, tocar para Calleri, penetrando com liberdade, bater forte, cruzado, e empatar.

O primeiro tempo ficou nisso, até porque as dificuldades ofensivas das duas equipes impossibilitaram que saíssem mais gols.

O São Paulo voltou mais ousado. Em seis minutos, teve uma grande chance com Rodrigo Nestor, um gol anulado de Luciano (a bola bateu na mão do atacante) e um chute em cobrança de falta ensaiada de Pablo Maia que só não entrou porque Cavichioli fez grande defesa - a bola ainda bateu na trave.

A imposição tricolor levou Vagner Mancini a mexer logo no time. O treinador americano fez três alterações de uma só vez, aos 12 minutos. O time deu mostras de melhorar e só não fez o segundo porque Felipe Alves evitou o gol na cabeçada de Mastriani com ótima defesa.

De fato, o jogo voltou a ficar equilibrado, com o América atacando com mais vigor e o São Paulo puxando bons contra-ataques, e também tentando aproveitar seguidos erros dos mineiros. As equipes passaram a criar chances de gol e o nível da partida melhorou bastante em relação à etapa inicial.

Com as várias alterações feitas pelo técnico Rogério Ceni, o São Paulo tornou-se mais perigoso na parte final do confronto, teve três grandes chances de marcar. Numa delas, Cavichioli salvou com o pé chute de Miranda da entrada da pequena área.

De tanto martelar o São Paulo foi recompensado. Aos 45 minutos, Alison fez o gol da vitória, ao se antecipar a Marlon e marcar de cabeça após cruzamento da esquerda. Triunfo justo para o time que superou o trauma de Córdoba e se impôs em Belo Horizonte.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir