Cidadeverde.com
Picos

Corpo de Bombeiros orienta sobre riscos de afogamento em banhos no B-R-O Bró

Imprimir

Foto: Paula Monize - Cidadeverde.com/picos

O período de B-R-O Bró marcado pelo sol forte e altas temperaturas são combustíveis para motivar banhos. A região de Picos tem várias barragens propícias para a prática e o risco de afogamento aumenta consideravelmente.

A Companhia Destacada do Corpo de Bombeiros, em Picos, orienta a comunidade que o afogamento é um tipo de acidente totalmente evitável. 

“É um acidente silencioso, por isso a importância dos cuidados quando for realizar banhos em qualquer meio líquido. O brasileiro, por estar em um país tropical, tem a cultura de banho em variados meios, como piscinas, barragens, lagos e rios”, destaca o tenente Rangel.

Orientações 

Entre as orientações estão evitar banhos sozinho ou combinados com bebida alcóolica.  Além disso, lugares de banhos desconhecidos também devem ser evitados por não se conhecer a profundidade. Confira!

- Evitar a combinação do banho e consumo de bebida alcoólica (a bebida reduz a coordenação motora e pode causar afogamento até de quem sabe nadar bem, sem falar que desidrata o corpo, o que pode causar cãibras);

- Evitar ações de risco, como atravessar lagos  barragens e rios, principalmente rios  por ter correnteza, o que aumenta mais os riscos;

- Evitar nadar sozinho;

- Ficar na profundidade até a altura da cintura/umbigo (profundidade de segurança);

- Não entrar em locais desconhecidos, principalmente de sua profundidade e que não tenha boa visibilidade para garantir a segurança;

Banhos com crianças

Em banhos com crianças é necessário observar os pequenos atentamente, para qualquer intercorrência agir com rapidez.

- Em locais que tenha meio líquido, ficar 100% do tempo observando a criança (inclusive dentro de casa, evitando acúmulo de água em baldes, caixas, bacias e banheiras);

- Quando levar para a água nos banhos, usar flutuadores da criança, de preferência flutuadores de espuma e que se fixem no tronco, pois são mais seguros que os flutuadores infláveis (que podem furar e perder a flutuação) e do que os de braço e tipo boia (que podem se desvencilhar da criança);

- Manter proximidade da criança de no máximo um braço de distância, pois torna ágil a ação de salvamento dela em caso de intercorrência;

Como agir diante de afogamento?

- Pedir para outra pessoa ligar imediatamente para o Corpo de Bombeiros e SAMU (atendimento com médico);

- Procurar algum material que flutua em água e jogar a flutuação para a pessoa que está se afogando se agarrar;

- Nunca tente salvar com as próprias mãos (pois pessoas em situação de afogamento podem, por extinto de sobrevivência, terminar a afogando quem está tentando salvar, e com isso, acrescentar mais uma vítima);

- Retirar a vítima da água através dos materiais usados para flutuação (como um tronco de madeira amarrada numa corda, etc). Daí a importância de pessoas que vão para locais de banho levarem consigo esses materiais preventivos, como coletes, boias com corda  dentre outros).

 

Paula Monize
[email protected]

Imprimir