Cidadeverde.com
Últimas

Fortes chuvas causam interdição de passarelas das Cataratas de Iguaçu

Imprimir

A vazão de água das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no Paraná, bateu novo recorde e chegou a 13,7 milhões de litros por segundo nesta quarta-feira (12), devido às fortes chuvas que atingem a região nos últimos dias. O fluxo considerado normal é de 1,5 milhão, de acordo com a Copel (Companhia Paranaense de Energia), responsável pelo monitoramento.

Por causa do grande volume de água, as passarelas e mirantes próximos as quedas foram interditadas do lado brasileiro e também do lado argentino das quedas. As Cataratas do Iguaçu levam o título de maior conjunto de quedas d'água do mundo e são consideradas uma das Sete Maravilhas da Natureza.

A Copel declarou estado de emergência na Central Geradora Hidrelétrica Chopim I, instalada no rio Chopim, entre os municípios de Itapejara d'Oeste e Coronel Vivida, na região sudoeste do estado.

O temporal elevou o nível do rio acima da capacidade máxima do reservatório. Equipes da Copel e da Defesa Civil orientam moradores a deixarem, preventivamente, locais próximos ao rio abaixo da barragem de Chopim I, pelo risco de inundação.

Cerca de 4.400 pessoas foram diretamente afetadas. O número de casas danificadas chegou a 389, o de desabrigados, a 161, e o de desalojados, a 1.261. Duas crianças estão desaparecidas em Pato Branco. Não há registros de mortos e feridos.

O último balanço, divulgado na tarde desta quarta (12) pelo governo do estado, aponta 24 municípios atingidos por enxurradas e alagamentos. As cidades mais afetadas são Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Vitorino, São Miguel do Iguaçu, Santa Izabel do Oeste e Pato Branco.

As fortes chuvas também provocam desabastecimento de água em pelo menos 28 bairros, e mais de 30 mil domicílios ficaram sem luz.

Segundo o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná), há regiões em que as chuvas de outubro já ultrapassaram a média histórica do mês. Em Francisco Beltrão, já são 287,6 mm em 11 dias, frente a uma média de 229 mm, e em Pato Branco as precipitações atingiram 263,2 mm (média de 233 mm).

O governo do estado disse que equipes da Defesa Civil e dos Bombeiros atuam em conjunto com prefeituras para minimizar os impactos para a população, com alojamentos e entregas de materiais, e que enviou ajuda humanitária a cidades da região.

 

Fonte: Folhapress (Aléxia Sousa) 

 

Imprimir