Cidadeverde.com
Geral

Após erro, artista mirim do Piauí quase perde voo para expor no Louvre

Imprimir

 

 

A história do artista mirim Pedro Gui, que quase perdeu a oportunidade de expor suas telas em Paris, repercutiu nas redes sociais e causou comoção após um desabafo da mãe. A família tinha um voo marcado para o sábado (15), mas um erro destruiu, por algumas horas, o sonho do piauiense de 11 anos, que é autodidata e já pintou mais de 300 telas, incluindo o rosto de famosos como Michael Jackson, Whindersson Nunes, entre tantos outros. 

No vídeo, Aline Fortes, mãe do garoto, conta que os voos eram das empresas áreas Azul e Transportes Aéreos Portugueses (TAP). 

"O projeto do Pedro foi aprovado. Comprei as passagens em junho com uma empresa de Brasília, por indicação de uma amiga que consegui com que ficassem mais baratas. Um dia antes da viagem, fui tentar fazer o check in e não conseguia. Colocava o localizador, código da reserva e não aparecia nada e dizia pra entrar em contato com a Azul. Eu entrava em contato com a Azul que dizia que não consesguia localizar a reserva. Entrava em contato a pessoa da empresa que só me dizia que a reserva estava confirmada e que eu podia ir pro aeroporto na hora marcada", conta a mãe. 

Ela relatou ainda que foram inúmeros os contatos com a Azul e a empresa que vendeu o pacote de viagem e, mesmo sem conseguir a confirmação sobre o voo, foi ao aerporto. No local, a notícia desesperadora de que de o voo havia sido cancelado há mais de um mês

"Fomos cedo, não tinha ninguém da Azul, chegaram meio-dia e quando a gente deu o código da passagem, simplesmente, disseram que o voo havia sido cancelado há mais de um mês, que esse voo não existia. Nisso, não podiam fazer nada, não podiam mexer na reserva e que quem tinha que mexer era a pessoa da empresa. Já a pessoa da empresa disse que estava tentando ver o que tinha acontecido, mas que constava voo ativo e era pra gente ficar no aeroporto, sendo que não existia o voo, não tinha o que fazer no aeroporto. Nisso, todo mundo chorando, a gente sem entender nada, de mãos atadas", disse a mãe.

Foto: Instagram 

 

Ela contou ainda que cogitou comprar uma nova passagem, mas já não havia voos para que a conexão a Portugal fosse feita a tempo. No vídeo ela não menciona qual empresa teria cometido o erro, mas diz que vai acionar a Justiça. 

A boa notícia só veio horas depois e foi divulgada por meio de um print após contato da Azul Linhas Aéreas seguido de um novo vídeo. 

"Passei um ano lutando para que essa viagem pudesse acontecer e quando vi o sonho saindo das nossas mãos por um erro, foi desesperador. O dano que a gente teve foi mais psicológico do que as passagens em si que, graças a Deus, a gente conseguiu. Queria agradecer a cada um que ajudou, se sensibilizou e acolheu a nossa história. É incrível sentir todo o amor de vocês. O Pedro está muito feliz. Essa história já tem um final feliz", agradeceu a mãe que embarca com os dois filhos no início da tarde deste domingo (16). 

As telas de Pedro Gui serão expostas no Salão Internacional de Arte Contemporânea- Carrousel Du Luvre, em Paris.

 

Graciane Araujo
[email protected]

Imprimir