Cidadeverde.com
Cidades

Irmãos são presos após invadirem hospital e ameaçarem funcionários com facão no Piauí

Imprimir
  • 0800803-80_2022_8_18_0040-421.jpg Reprodução
  • 0800803-80_2022_8_18_0040-43.jpg Reprodução
  • 0800803-80_2022_8_18_0040-20.jpg Reprodução
  • 0800803-80_2022_8_18_0040-19.jpg Reprodução
  • 0800803-80_2022_8_18_0040-18.jpg Reprodução

Dois irmãos foram presos na cidade de Batalha (distante 165 km de Teresina) após invadirem um hospital e ameaçarem funcionários com um facão. Os homens foram identificados como Erinaldo da Cunha, 30 anos, e Paulo Afonso da Cunha, 26 anos. A prisão aconteceu nesta terça-feira (18). 

Segundo informou o chefe de gabinete da Prefeitura de Batalha no boletim de ocorrência que o Cidadeverde.com teve acesso, os dois promoveram danos nas dependências do hospital na madrugada do dia 18 de outubro. 

De acordo com a denúncia, eles derrubaram a porta de entrada do hospital e depois entraram no hospital com facões, que usaram para ameaçar funcionários da unidade de saúde. Além disso, teriam quebrado lâmpadas, bancos e uma lixeira do hospital. 

A dupla foi presa e levada ao Distrito Policial de Batalha, onde, segundo depoimento do PM que atendeu a ocorrência, também danificaram o patrimônio público ao quebrar a cela onde os irmãos ficaram. 

Ao delegado Ayslan Magalhães de Brito, titular do DP de Batalha, um dos detidos afirmou que não lembra de ter quebrado nada no hospital de Batalha e que tudo começou após, segundo ele, ter sido destratado por um segurança da unidade hospitalar. 

Paulo Afonso da Cunha alega que sofreu um acidente de moto e foi levado por populares até o hospital da cidade. Lá, os funcionários teriam demorado para aplicar uma injeção e não fizeram um curativo em seu pé. 

“Estava em carne viva. Por conta da demora no atendimento ia embora. Na saída o segurança pegou no meu braço e me jogou para fora do hospital”, relatou Paulo Afonso que teria ido para casa após isso. 

Em casa, o homem alega que seus irmãos ficaram incrédulos com a forma como Paulo foi tratado e foram ao hospital tirar satisfação. Tanto Afonso como o irmão não lembram de mais nada e só de serem presos. 

Os irmãos dizem que fazem uso de entorpecentes e que no dia haviam ingerido bebida alcóolica. A dupla passou por audiência de custódia nesta quarta e vai responder por dano ao patrimônio público. 

Nataniel Lima
[email protected] 

Imprimir