Cidadeverde.com
Esporte

Dudu marca golaço, Palmeiras bate o Avaí e volta a vencer no Brasileirão

Imprimir

Depois dos empates com Atlético-GO e São Paulo, o Palmeiras voltou a vencer no Brasileirão ao derrotar o Avaí, por 3 a 0, neste sábado, em jogo da 33ª rodada da competição. 

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

Jogando no Allianz Parque, a equipe alviverde mostrou superioridade e não teve dificuldades para derrotar a equipe catarinense. Os gols da vitória foram marcados por Gustavo Scarpa, de pênalti, Dudu, que marcou um golaço, e Vanderlan. 

A partida contou ainda com a presença do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro, que acompanhou o duelo ao lado de Leila Pereira.

Com a vitória, o Palmeiras chega aos 71 pontos e dá mais um passo à conquista do seu 11º título do Campeonato Brasileiro. O time de Abel Ferreira amplia a invencibilidade na competição para 18 jogos, o nono seguido sem derrota, e soma agora 24 rodadas na ponta. 

A equipe alviverde volta a campo na terça-feira, quando enfrenta o Athletico Paranaense, na Arena da Baixada, às 21h45 (horário de Brasília).

A vitória alviverde começou a ser encaminhada ainda na etapa inicial. Logo no primeiro minuto de jogo, Kevin recuou mal a bola para dentro da área. Rony interceptou, mas foi derrubado pelo goleiro Vladimir, e Bruno Arleu de Araújo marcou pênalti. 

Scarpa foi para a marca da cal e bateu com força, abrindo o placar no Allianz. A vantagem por pouco não foi para os ares já na primeira chegada do Avaí, quando o zagueiro Luan foi desarmado próximo da pequena área e viu o atacante Renato acertar uma pancada na trave.

O lance irritou bastante Abel Ferreira.

Na vice-lanterna, o Avaí precisava de um resultado positivo e tentou sair para o ataque, mas quase sempre deixando espaços atrás e sem fazer Weverton trabalhar.

Bissoli, um dos artilheiros do Brasileirão, com 14 gols, saiu do banco para substituir o lesionado Pottker, aos 20 minutos, mas quase não tocou na bola e sofreu com a marcação. 

Pelo lado palmeirense, as chances foram criadas principalmente no lado direito do ataque, com Gustavo Scarpa, e nos contra-ataques puxados por Dudu e Rony

Apesar de controlar as ações da partida, o Palmeiras não conseguiu converter a superioridade em gols. Com o setor de ataque pouco inspirado, as melhores chances apareceram com Piquerez e Scarpa. 

O lateral-esquerdo uruguaio por pouco não marcou um golaço em chute colocado de perna direita. Já o meio-campista quase ampliou o marcador em cobrança perigosa de falta no último lance antes do intervalo.

O Avaí foi quem começou melhor a segunda etapa, pressionando a saída de bola do Palmeiras para forçar um erro e tentar o empate, mas a equipe comandada por Lisca abusou dos erros de passe no meio-campo. Aos 9 minutos, Rony roubou a bola e deu lindo passe em profundidade para Dudu. 

O atacante arrancou, entrou na área, driblou dois jogadores e bateu para o fundo das redes, marcando um belíssimo gol. O tento foi bastante comemorado pelos jogadores no banco de reservas.

Mesmo depois de ampliar o placar, o Palmeiras não colocou o pé no freio e passou a pressionar o Avaí no campo adversário. 

O terceiro por pouco não saiu novamente dos pés de Scarpa e Dudu, que finalizaram com perigo durante a blitz alviverde. Valente, o time catarinense não se abateu e tentou criar jogadas, mas quase sempre sem sucesso. Weverton passou quase toda a etapa final sendo mero espectador do jogo.

Aos 30 minutos, a torcida foi ao delírio após Abel Ferreira chamar o jovem atacante Endrick, joia da base palmeirense de apenas 16 anos. 

O garoto mostrou disposição já na primeira participação, dando um carrinho para tentar roubar a bola do defensor.

Pouco tempo depois, ele girou para cima da defesa e bateu colocado, obrigando Vladimir a fazer boa defesa. No rebote, o goleiro evitou o gol em finalização de Breno Lopes.

Na reta final da partida, Endrick voltou a assustar o adversário com um bom chute da entrada da área.

Na jogada seguinte, cruzou rasteiro para dentro da área. Vladimir desviou mal e Vanderlan fez o terceiro, dando números finais ao jogo.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir