Cidadeverde.com
Entretenimento

'Harry Potter' pode ganhar novos filmes, apesar de polêmicas com JK Rowling

Imprimir

Foto: Divulgação/HBO Max

"Harry Potter" está na mira de Hollywood para voltar às telas com novos filmes -com o bruxinho original, não dentro da saga "Animais Fantásticos". É o que disse o novo CEO da Warner Bros. Discovery, David Zaslav, numa reunião com acionistas nesta quinta (3).

De acordo com a revista americana The Hollywood Reporter, a única coisa que faltaria para novos capítulos da franquia começarem a ser desenvolvidos é a autorização de JK Rowling, autora dos livros e detentora dos direitos autorais sobre os personagens.

"Nós vamos nos dedicar a franquias. Nós não fazemos um filme do Super-Homem há 13 anos. Nós não fazemos um 'Harry Potter' há 15. Os filmes da DC e de 'Harry Potter' foram responsáveis por muitos dos lucros da Warner Bros. nos últimos 25 anos", afirmou Zaslav, citando ainda "O Senhor dos Anéis", cujos direitos de adaptação para os cinemas seguem com o estúdio, apesar da nova série do Amazon Prime Video.

A lógica de buscar franquias com potencial para um grande retorno financeiro segue a cartilha que Zaslav apresentou ao assumir o cargo, após a recente fusão entre a WarnerMedia e a Discovery, Inc.

Sua permanência como CEO é vista de forma crítica por muitos fãs e especialistas, principalmente depois que ele anunciou que o longa "Batgirl", apesar de finalizado, não seria mais lançado para driblar impostos que recairiam sobre ele.

O plano de Zaslav é cortar cerca de US$ 3,5 bilhões, ou R$ 17,6 bilhões, em despesas, principalmente por meio de impostos cobrados sempre que um novo conteúdo é lançado. No horizonte também está uma fusão entre as plataformas de streaming das duas empresas que deram origem à Warner Bros. Discovery, HBO Max e Discovery+, que foi antecipada para o início de 2023 na mesma reunião desta quinta.

Parece arriscado, no entanto, investir tempo e dinheiro em novos filmes da mente de JK Rowling. A autora está há anos no centro de uma polêmica que a acusa de transfobia, e muitos dos fãs de "Harry Potter" e ativistas vêm pregando boicotes a suas obras.

Outro entrave seriam os números da franquia "Animais Fantásticos", bem abaixo daqueles feitos pela saga original do bruxinho, em especial por causa das críticas mornas ou ruins que vem recebendo há três filmes.

De qualquer forma, a declaração de Zaslav, por ter sido feita num encontro para acionistas, parece mais fundamentada em planos reais do que em promessas vazias.

 

Fonte: Folhapress 

Imprimir