Cidadeverde.com
Esporte

Rayssa Leal se torna campeã mundial de skate aos 14 anos

Imprimir



O mundo do skate é um conto... de Fadinha. Neste domingo, Rayssa Leal superou quedas e uma dor de abdômen para, aos 14 anos, se sagrar campeã mundial de skate. Ela superou outras sete atletas e, com uma última manobra espetacular, conquistou o Super Crown na Arena Carioca 1.

O título foi confirmado apenas na última manobra e após segundos intermináveis de expectativa para saber a nota de Funa Nakayama, que fez o último salto - quase perfeito, é verdade. Mas Rayssa havia sido inteiramente perfeita dois minutos antes.

Com a vitória no Rio, Rayssa Leal coroa uma campanha impecável. Ela venceu todas as quatro etapas do Mundial de Skate Street na temporada.

SUPER CROWN

Neste domingo, o público brasileiro tinha três atletas por quem torcer - Gabi Mazetto, que garantiu vaga à final no sábado -, a bicampeã do mundo Pâmela Rosa e, claro, a xodó Rayssa Leal, vencedora das três etapas anteriores da SLS.

Gabi fez apresentações seguras, com poucos erros, mas sem manobras capazes de lhe colocar entre as primeiras. Pâmela, por sua vez, demonstrou logo nas primeiras manobras por que é uma das melhores skatistas do mundo já há algum tempo. Rápida em cima do skate, ela buscou explorar ao máximo os obstáculos na pista montada na Arena Carioca 1 na primeira parte da disputa, que tem exibição cronometrada.

Competitiva, Pâmela se sentiu prejudicada ainda na primeira exibição; prestes a finalizar sua volta, ela fez sinal para duas pessoas do staff da SLS que estavam no fundo da pista abrirem espaço, mas acabou usando a outra ponta. Na sequência, ela caiu

O susto maior, contudo, viria minutos mais tarde. Após fazer a volta de maior nota entre as oito competidoras, Rayssa partia para sua segunda volta quando parou e se agachou na pista com dores no abdômen. O ginásio inteiro ficou em silêncio. A skatista foi avaliada por um médico da SLS e liberada na sequência para voltar a competir.

SUPER FINAL

O regulamento do Super Crown previa que apenas as quatro primeiras colocadas iriam para a disputa do título, com duas tentativas adicionais. Rayssa foi a única brasileira, com o terceiro melhor desempenho até então.

O problema que se avizinhou é que ela foi para a decisão cinco décimos atrás de Funa Nakayama, a japonesa de melhor nota até então. Rayssa caiu em sua primeira tentativa - as demais, também Na última tentativa, ela conseguiu a melhor nota do dia e fez a festa da torcida.


Fonte: Estadão Conteúdo 

Imprimir