Cidadeverde.com
Esporte

Bahia vence o CRB por 2 a 1 e carimba sua volta à elite nacional em 2023

Imprimir

Depois de sofrer nas últimas rodadas, enfim, a torcida do Bahia pode comemorar a sua volta à elite nacional em 2023.

Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia

O esperado acesso, que poderia ter sido festejado muito antes, ficou para o último momento quando o Tricolor de Aço venceu por 2 a 1 o CRB, neste domingo no estádio Rei Pelé, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Com 62 pontos, o Bahia terminou em terceiro lugar, com a mesma pontuação do Vasco, que venceu o Ituano por 1 a 0, mas os baianos ficaram com uma pequena vantagem no saldo de gols: 14 a 12.

Os cariocas ficaram em quarto lugar e também carimbaram o acesso, ao lado dos já classificados Grêmio e Cruzeiro.

O CRB, que apenas cumpriu tabela, terminou em décimo lugar, com 50 pontos. E segue sem quebrar um tabu diante do Bahia no futebol nordestino. O time alagoano não vence o rival por duas décadas, pois sua última vitória aconteceu em 2002, quando fez 3 a 1 em duelo válido pela Copa do Nordeste.

O visitante começou disposto a não correr riscos e jogando para frente, em busca do gol. As chances foram se sucedendo, com o CRB apenas se defendendo. Aos 22 minutos, Caio Vidal balançou as redes, mas estava impedido.

Três minutos depois, o Bahia abriu o placar. Vitor Jacaré cobrou escanteio, o goleiro Vitor Caetano afastou e deu azar porque a bola caiu no pé de Daniel que bateu rasteiro: 1 a 0, aos 25 minutos.

Os baianos continuaram em cima e quase ampliaram aos 33 minutos. Outra vez de escanteio, desta vez cobrado por Daniel na cabeça do zagueiro Luiz Otávio. O goleiro Vitor Caetano voou e espalmou para escanteio, numa grande defesa.

Nos últimos minutos do primeiro tempo a chuva apertou e o jogo começou a perder qualidade. Na volta do intervalo foi possível notar várias poças de água em todo o gramado.

O CRB voltou com o meia Rafael Longuine no lugar de David Brall e também um pouco mais adiantado, pelo menos, saindo de seu campo defensivo. O empate saiu aos cinco minutos. A jogada começou com um cruzamento curto do lado direita, que o centroavante Anselmo Ramon desviou. 

A bola sobrou para o chute rasteiro de Emerson Negueba, que saiu fraco por causa do gramado encharcado, porém, entrou no canto direito de Mateus Claus, que demorou para cair e tentar a defesa.

Mas aos 17 minutos o CRB perdeu o zagueiro Diego Ivo, expulso após cometer falta em cima de Caio Vidal que saia em disparada em direção ao gol. A expulsão foi só foi confirmada com o auxílio do VAR. 

Na cobrança da falta, do lado direito da grande área, Lucas Mugni encobriu a barreira e exigiu de Vitor Caetano um tapa no alto para afastar a bola.

O CRB, porém, mostrou estar vivo porque aos 21 minutos quase aproveitou um contra-ataque. Uilliam Correia, que tinha entrado no lugar de Fabinho, invadiu a área pelo lado esquerdo e chutou forte. A bola bateu no rosto de Mateus Claus e foi para escanteio.

A chuva diminuiu, mas não parou, deixando o gramado cada vez mais pesado. Aos 31 minutos, o Bahia teve uma falta na frente na área, Carlos Mugni cobrou, a bola desviou na barreira. 

Na sobra, Anselmo Ramom deu um carrinho para aliviar a bola, porém, depois atingiu por trás a André. O árbitro anotou pênalti e expulsou Anselmo Ramon, deixando o CRB com dois jogadores a menos.

Na cobrança, o meia Lucas Mugni chutou forte e no alto depois que o goleiro Vitor Caetano caiu do lado direito. Bahia faz 2 a 1 e fica mais tranquilo em campo.

Mesmo inferiorizado, o CRB foi valente, ainda tentou o empate, porém, encontrou o Bahia determinado a garantir o resultado para, ao final, festejar sua volta ao Brasileirão um ano após sua queda.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir