Cidadeverde.com
Esporte

D'Alessandro vê Argentina leve para a Copa e fala sobre relação com Brasil

Imprimir

Reforço do Grupo Globo para a cobertura da Copa do Mundo 2022, D'Alessandro tem propriedade para comentar sobre a escola de futebol argentina, seu país de nascimento, e bagagem suficiente para se considerar um brasileiro e analisar a seleção comandada por Tite durante a disputa no Qatar.

Com uma relação de mais de 14 anos com o Brasil, especialmente com Porto Alegre, cidade onde virou ídolo no Internacional e escolheu como local para o nascimento do filho caçula, o ex-jogador tem carinho e respeito por países que nutrem uma rivalidade histórica no esporte.

Em entrevista antes do Mundial, ele explica as diferenças culturais na forma de jogar futebol e coloca as seleções como favoritas ao título.

"O argentino, não só o atleta, mas também o torcedor, admira muito o jogador brasileiro, pelo jeito que assistíamos pela televisão Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Rivaldo, Ronaldo Fenômeno, Roberto Carlos... Eu cheguei a jogar contra algumas dessas figuras. 

Nós admirávamos não só pela qualidade, mas pela felicidade de jogar que o atleta brasileiro tem, de ver um futebol de uma maneira diferente da nossa.

Eu digo sempre que nós argentinos sabemos sofrer mais e que os brasileiros se divertem mais do que a gente dentro de campo", afirmou o argentino. Ele vê as seleções sul-americanas no caminho para o título no Qatar.

"Vejo os dois times em um momento muito bom. O Brasil já com um trabalho um pouco mais longo, com o Tite, mas acho que a Argentina encurtou essa distância com os resultados e uma estruturação bem rápida que aconteceu nos últimos dois anos. 

A equipe foi muito bem nas Eliminatórias e ganhou a Copa América. Isso tirou um peso das costas para trabalhar um pouco mais tranquila. (...) Não tenho dúvida de que são favoritos para ganhar, junto com algumas seleções europeias que demonstraram nos últimos anos que têm elenco", opinou.

D'Alessandro será um dos convidados fixos do 'Seleção Catar', programa noturno apresentado por André Rizek e Marcelo Barreto no Sportv, a partir de 20 de novembro. Cristiane também vai comentar na atração.

D'ALESSANDRO PREGA RESPEITO AO BRASIL E RECORDA TRAUMA DE 2004

D'Alessandro tem cidadania brasileira e possui carteira de identidade. Os anos a serviço do Internacional fizeram com que o ex-jogador desenvolvesse um carinho pelo país vizinho.

"Eu sinto gratidão. São mais de 14 anos trabalhando neste país. O Brasil e o Internacional me abriram as portas para eu poder trabalhar. Mas fora do futebol eu fiz uma vida aqui, no Sul, em Porto Alegre. Foi um povo que me acolheu em 2008, quando eu cheguei. 

Isso faz parte da minha vida. (...) Foram tantas coisas vividas aqui que tenho de admitir que sou argentino, mas também sou um brasileiro. Tanto que hoje em dia eu tenho a dupla cidadania. E isso é motivo de muito orgulho. Sou muito feliz de fazer parte deste país aqui", disse.

O respeito pelo Brasil, porém, não apaga alguns traumas do ex-meia enfrentando a seleção com a camisa argentina. D'Ale, que lamenta nunca ter ido para uma Copa do Mundo, recorda principalmente a derrota na final da Copa América de 2004. O Brasil empatou no último lance (2 a 2), forçou as penalidades e ficou com o título.

"Eu tive jogadores brasileiros que foram espelhos para mim. O futebol dá essa honra de poder enfrentá-los, de poder ser companheiro de time. Eu vejo essa camisa [do Brasil] e lembro de derrotas também.

A Copa América de 2004, as Eliminatórias, tem muita coisa. Mas o Brasil e Argentina são potências mundiais e um precisa do outro para continuar crescendo, para ser cada vez maior. Isso é sadio."

Fonte: UOL-FOLHAPRESS

Imprimir