Cidadeverde.com
Cidades

Polícia tem acesso a prints que podem levar a novas vítimas de professor preso por estupro

Imprimir

Foto: arquivo Cidadeverde.com

A Polícia Civil do Piauí teve acesso a prints que indica que o professor Josivaldo Wilton Alves, 44 anos, preso suspeito de estupro, teria feito mais vítimas, além da afilhada de 12 anos e uma cunhada. Os crimes ocorrerram na cidade de São João da Fronteira, a 236 km de Teresina. 

O delegado Abimael Silva, titular do inquérito policial, disse ao Cidadeverde.com que os prints são de conversas de WhatsApp trocadas entre alunas. Até o momento, os novos casos ainda não foram formalizados. 

"Temos informações de que algumas alunas conversaram pelo WhatsApp dizendo que foram vítimas dele também. Mas isso está sendo investigado. Estamos tentando localizar as vítimas. Tem uma que, inclusive, parece que não mora mais aqui. Tivemos conhecimento desses supostos casos após a prisão dele. Recebemos esses prints e estamos tentando localizá-las", disse o delegado. 

O professor foi preso preventivamente e levado à audiência de custódia nesta sexta-feira (11). À Polícia Civil, ele negou as acusações e disse que é "uma pessoa afetuosa e que isso pode ter sido confundido". 

A prisão de Josivaldo Wilton se deu após denúncia da afilhada de 12 anos e de uma cunhada que procuraram o Conselho Tutelar para denunciá-lo. No caso da cunhada, a violência sexual teria se estendido por anos e iniciado quando ela ainda era menor de idade. De acordo com a denúncia, o suspeito aproveitava a proximidade com as vítimas para cometer os abusos, tocando-as e mostrando seu órgão sexual. 

 

Graciane Araújo
[email protected]

Imprimir