Cidadeverde.com
Esporte

Ator Morgan Freeman faz discurso por inclusão na abertura da Copa do Catar

Imprimir
 
Foto: Marcelo Machado de Melo/Estadão Conteúdo 

 

A Copa do Mundo do Catar foi oficialmente aberta neste domingo com uma cerimônia que misturou modernidade e tradição e teve Morgan Freeman como estrela. O experiente ator americano abriu o evento e, com uma imagem de sobriedade, pediu tolerância, paz, inclusão e união dos povos.

A mensagem ocorre como uma resposta da Fifa e do país-sede às críticas pelas acusações de direitos humanos da nação muçulmana, a primeira do Oriente Médio a sediar um Mundial na história.

“Aquilo que nos une é maior do que aquilo que nos divide. Somos uma grande tribo e a Terra é nossa tenda. Juntos, podemos fazer o chamado para todos se juntarem a nós”, disse Morgan Freeman. 

“O tema da cerimônia de abertura é a união de toda a raça humana, interligando diferenças por meio da humanidade, do respeito e da inclusão. O futebol permite nos unir como uma única tribo, e a Terra é a tenda em que todos nós vivemos”, informou a organização. 

Fotógrafo: Richard Callis/Estadão Conteúdo

A ideia principal dos organizadores foi dar foco num discurso pacífico e que abrace todos os povos em um país acusado de violação de direitos humanos, de discriminar mulheres e homossexuais e de manter em condições precárias os trabalhadores imigrantes que trabalharam nas obras do Mundial. "Com tolerância e respeito podemos viver em harmonia juntos", discursou Morgan Freeman, com um ar de sobriedade.

A cerimônia começou às 17h40, no horário local, e durou 30 minutos. Foi aberta com a voz de Morgan Freeman, o apresenta principal da celebração, e terminou com um discurso breve em árabe do emir do Catar, Tamim bin Hamad al-Thani.

O espetáculo uniu modernidade, com efeitos visuais e um show de luzes, com a tradição da cultura árabe, apresentando a música catariana do cantor Fahad Al-Kubaisi. A outra estrela musical convidada a se apresentar foi o sul-coreano Jeon Jung-kook, astro da banda BTS, famoso grupo do k-pop. Também participaram do evento o embaixador da Copa do Mundo, Ghanim Al Muftah, e a cantora Dana, que, como Fahad, é nascida no Catar.

Todas as 32 nações foram representadas com bandeiras e camisas. No fim, também tocaram outras famosas músicas de Mundiais anteriores, como Waka Waka, da cantora colombiana Shakira, considerado o maior hit da história das Copas.

Segundo a Fifa, o tema da cerimônia de abertura foi "um encontro para toda a humanidade, unindo diferenças através da humanidade, respeito e inclusão", de modo que o futebol permite que as nações se unam "como uma tribo" e a terra "é a tenda em que todos vivemos".

Situado em Al-Khor, cidade a 35 km de Doha, o Al Bayt estava cheio, mas não lotado. Foi possível notar cadeiras vazias na arena com capacidade para 60 mil pessoas e que terá assentos removidos depois da Copa. Embora fossem maioria, assim que acabou o espetáculo, a torcida anfitriã foi ofuscada pelos equatorianos, muito barulhentos atrás de um dos gols.

Catar e Equador abrem a Copa do Mundo. É tradição que a seleção do país-sede faça o primeiro jogo da competição. Por isso a Fifa antecipou a data de abertura em um dia. Desde a primeira Copa do Mundo, em 1930, o anfitrião não perdeu seu jogo de estreia. O Equador chegou ao Catar desbancando na América do Sul rivais como Chile e Colômbia.

O Grupo A da Copa do Mundo ainda tem Senegal e Holanda, que se enfrentam nesta segunda-feira, 21.

Foto: Marcelo Machado de Melo/Estadão Conteúdo 


O ex jogador francês e campeão mundial, Marcel Desailly entra com a taça da Copa do Mundo antes de partida entre Catar x Equador, válida pela primeira rodada do grupo A da fase de grupos da Copa do Mundo, realizada no Estádio Al Bayt em Al-Khor, Catar.

 

Fonte: Estadão Conteúdo
[email protected]

Imprimir