Cidadeverde.com
Política

Valdemar Costa Neto volta a questionar urnas e Gleisi reage

Imprimir

Foto: Reprodução/PL

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, reagiu às declarações de Valdemar da Costa Neto, presidente do PL, sobre pedir invalidação de votos em urnas fabricadas até 2020. A petista disse para a sigla de Jair Bolsonaro "aceitar que doí menos".

"PL continua fazendo bolsonarices. Agora querem anular 250 mil urnas pra mudar o resultado das eleições. Dizem q tem problemas desde antes de 2020. Só agora resolveram pedir providências?! Jogaram, perderam. Aceitem q dói menos", escreveu a deputada federal no Twitter.

A segurança das urnas já foi comprovada pelo Tribunal de Contas da União e as próprias Forças Armadas. Três missões internacionais de observação eleitoral também emitiram relatórios preliminares atestando a segurança das urnas eletrônicas, logo depois do primeiro turno. Não há indícios de fraude ou problema técnico no sistema de votação brasileiro.

Mesmo assim, Valdemar afirmou que a sigla vai buscar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar invalidar votos registrados em urnas produzidas até 2020. "Pelo estudo que nós fizemos, tem várias urnas que não podem ser consideradas", disse ele neste sábado (19), em um vídeo divulgado nas redes sociais. Ele repetiu o mesmo discurso também em agendas pelo interior de São Paulo, em Ribeirão Pires, acompanhado do senador eleito Marcos Pontes.

Ele disse ainda que o PL vai propor essa análise ao TSE até a terça-feira, 22. Ele afirmou que as urnas inválidas seriam as que foram produzidas até o ano de 2020, que supostamente teriam o mesmo número de patrimônio, o que, segundo ele, inviabilizaria uma fiscalização urna por urna.

O dirigente partidário chegou a dizer ainda que teria conversado sobre isso com o juiz Sandro Nunes Vieira, que atuou no TSE e foi juiz auxiliar da presidência da corte até agosto. O juiz negou ter tido essa conversa em uma nota divulgada neste domingo (20).

"No dia 19.11.2022 fui informado pela equipe de comunicação do TSE que meu nome havia sido citado pelo Presidente do Partido Liberal, Sr. Valdemar Costa Neto, no contexto de que teria falado comigo sobre eventuais irregularidades nas urnas eletrônicas", diz a nota do juiz. "Sobre o tema, venho esclarecer que nunca tive contato pessoal com o Presidente do Partido Liberal. Como Juiz, não emito opiniões públicas ou juízos de valor sobre processos de conotação política".

Fonte: Folhapress/Camila Turtelli

Imprimir