Cidadeverde.com
Picos

Jornalista Clebson Lustosa é homenageado com Troféu Raça Negra em Oeiras

Imprimir
  • cap_2.JPG Diego Asquenaz
  • cap_1.JPG Diego Asquenaz
  • cap_3.JPG Diego Asquenaz
  • dentro_51.JPG Diego Asquenaz
  • dentro_21.JPG Diego Asquenaz
  • dentro_6.JPG Diego Asquenaz
  • dentro_4.JPG Diego Asquenaz
  • dentro_3.JPG Diego Asquenaz

 

O Diretor de Jornalismo da TV Cidade Verde Picos, Clebson Lustosa, foi um dos homenageados no ‘Troféu Raça Negra’. O evento foi realizado no último sábado (19) no município de Oeiras, distante 86 km de Picos, onde diversas personalidades negras e não negras da região receberam a premiação por suas ações em prol da luta antirracista.

O ‘Troféu Raça Negra’ é uma iniciativa do Portal Mural da Vila com o objetivo de exaltar, enaltecer e divulgar o valor das iniciativas, ações, gestos, posturas, atitudes, trajetórias e realizações que tenham contribuído para aprofundamento e ampliação da valorização do povo negro.

Entre os homenageados estiveram a pedagoga Beron Mendes, mulher trans de Oeiras, o ativista do movimento negro Francisco das Chagas Sousa, a psicóloga Ludymila Sousa, o jornalista Clebson Lustosa, entre outros.

O idealizador da premiação, Lameck Valentim, pontuou a importância do projeto como instrumento de luta antirracista.

“O evento, além de dar o merecido reconhecimento aos homenageados, também contribui com a luta antirracista, dando visibilidade àqueles que lutam contra o preconceito e a discriminação que o afrodescendente sofre”, disse Lameck Valentim.

O diretor da TV Cidade Verde Picos, Clebson Lustosa, destacou a alegria em receber o prêmio que reconhece práticas em valorização do povo negro.

“Desde a minha formação na academia e até mesmo dentro da minha carreira profissional, sempre procurei ocupar espaços de desconstrução, principalmente espaços de formação, para que eu pudesse me tornar um profissional cada vez mais longe de amarras que me prendesse em preconceitos. Receber esse prêmio vem para reafirmar que estou no caminho certo, onde eu me coloco dentro de um contexto onde a nossa profissão nos faz instrumento de passagem de voz”, enfatizou.

Jornalista Clebson Lustosa recebendo prêmio

Mulher, trans e negra, Beron Mendes, também foi uma das homenageadas que tem como bandeira de luta a busca pela igualdade e respeito às diferenças.

“Quando eu entrei na Assistência Social, onde trabalho como orientadora social. Esse trabalho fez com que eu buscasse cada vez mais continuar a luta afro dentro da nossa cidade”, frisou Beron Mendes.

A gerente de promoção da Igualdade Racial e Enfrentamento ao trabalho escravo no Piauí, Assunção Aguiar, reforça que espaços como este somam na busca de uma sociedade antirracista.

“Nós estamos hoje num lugar que outrora a negrada não participava. Estamos na praça, Oeiras, espaço fundamental para ação de políticas públicas, um evento para tratar de Consciência Negra”, ressaltou.

Assunção Aguiar

Relação com a identidade do povo negro

Clebson Lustosa Brandão Lima é natural de Oeiras; Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação ( PPGCOM ) da Universidade Federal do Piauí que desenvolve pesquisa sobre a cobertura regional acerca das práticas de umbanda no Piauí. 

Um dos capítulos do livro Mídia e Contemporaneidade da editora Lestus é assinado por Clebson, onde ele trata sobre a religião umbanda nas redes sociais. Em 2021 publicou artigo com uma análise da repercussão da peça teatral Uma Escrava Chamada Esperança, desde o uso errôneo da palavra escrava até a apropriação de uma mulher não negra para interpretar Esperança Garcia. 

Clebson Lustosa é um oeirense criado pelas ruas do bairro Jureminha, cresceu ouvindo as batidas de tambor de um terreiro que fica próximo da casa da família. Ainda na universidade e seguindo pela carreira profissional, Clebson sempre procurou ocupar espaços de formação e de desconstrução de amarras de qualquer tipo de preconceito ou opressão. 


Paula Monize
[email protected]

Imprimir