Cidadeverde.com
Esporte

Tite esconde escalação e mantém mistério sobre estreia do Brasil na Copa do Mundo

Imprimir

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Sob o argumento de "não dar armas ao adversário", o técnico Tite se esquivou três vezes nesta quarta-feira a responder sobre a escalação do Brasil para a partida de estreia na Copa do Mundo do Catar. A comissão técnica trabalha com três modelos de jogo e já definiu os 11 titulares, mas sem revelar se terá Vinicius Junior ou Fred.

O treinador vem escondendo a escalação desde que o grupo de jogadores se reuniu em Turim, no início da semana passada. Na atividade da última segunda-feira, realizada já em Doha, no Catar, Tite fechou o treino antes de começar a montar o time que enfrentará a Sérvia. E, na terça, toda a atividade no Grand Hamad Stadium aconteceu com portões fechados.

Nesta quarta, na entrevista oficial antes da partida, Tite manteve o mistério. "A equipe, eu não vou dizer por uma questão simples de não dar ao adversário quem vai jogar ou não, de mostrar variações. Não vou colocar", afirmou.

A menos que haja uma grande surpresa de última hora, dez dos 11 jogadores já estão definidos, com Alisson; Danilo, Thiago Silva, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Lucas Paquetá; Neymar, Raphinha e Richarlison. A última vaga ficará entre o volante Fred e o atacante Vinicius Junior.

Apesar de não revelar os nomes, o auxiliar Cléber Xavier deixou claro que o time titular já está definido. "Fizemos treinos bem didáticos aqui. A partir da chegada em Doha passamos a trabalhar em cima das qualidades e defeitos da Sérvia. Sabemos o time que vai jogar e sabemos as mudanças que possivelmente vamos fazer. Nos sentimos seguros. Agora é levar para o campo", sustentou.

Tite, por sua vez, admitiu que as opções colocadas à mesa - uma das quais com Vinicius Junior, eleito pela Fifa o melhor atleta brasileiro da temporada, na reserva -, geram críticas. Mas se mostrou sereno. "Eu faço escolhas que agradam uns e não agradam outros. Mas os atletas se escolheram também. Os atletas do meio para frente têm protagonismo e uma qualidade excepcional. Nós acompanhamos."

 

Fonte: Estadão Conteúdo 

Imprimir