Cidadeverde.com
Esporte

Lukaku perde 4 gols feitos, cai no choro e enterra geração belga

Imprimir

DiaEsportivo/Folhapress


A Bélgica precisava de apenas um gol para superar uma primeira fase ruim na Copa e avançar às oitavas de final. Foi quando Lukaku entrou em campo. Um dos maiores nomes da seleção, o centroavante, porém, perdeu 4 gols feitos em 45 minutos, caiu no choro após o apito final do empate por 0 a 0 contra a Croacia e enterrou de vez a chamada talentosa geração belga.

A derrota decreta o maior vexame da etapa de grupos do Mundial até então. A Bélgica era cotada como uma das favoritas ao título, mas foi eliminada em uma chave que também tinha Marrocos e Croácia, classificados, além do Canadá, que terminou na última colocação. De quebra, ainda encerra a trajetória de um dos maiores times belgas da história.

A primeira chance desperdiçada por Lukaku foi aos 14 minutos do segundo tempo. O atacante aproveitou o rebote de uma jogada entre De Bruyne e Carrasco e, já com o goleiro vencido, chutou na trave. O lance animou a torcida no estádio Ahmad Bin Ali e parecia questão de tempo até o gol belga.

Contudo, a noite mostrou que seria de total azar para a Bélgica e Lukaku dois minutos depois, quando De Bruyne cruzou na cabeça do atacante, que mandou por cima, sozinho - o gol seria anulado, pois a bola do meia belga havia saído.

Nos 5 minutos finais da partida, a Bélgica pressionou e Lukaku conseguiu perder mais três chances claras de gol.

Primeiro, em rebatida após chute de Meunier, mandou rente à trave de Livakovic; depois, Doku fez ótima jogada pela esquerda, Thorgan Hazard pegou a sobra e cruzou para o centroavante que, novamente sozinho, embaixo do gol, escorou de barriga, se atrapalhou e desperdiçou.

Por fim, na última chance da Bélgica na Copa, Gvardiol afastou na hora do chute do 9 belga, que estava voltando de lesão - ele havia sentido a coxa esquerda antes da Copa e desfalcou o time titular nos dois jogos anteriores.

Lukaku foi às lágrimas após o apito final. Nervoso, ainda deu um soco em um plástico do banco de reservas, que se quebrou. O centroavante sabia que essa geração belga - que está em sua terceira Copa do Mundo, com a maioria dos atletas beirando ou ultrapassando a faixa dos 30 anos - não deve ter outra oportunidade de chegar longe em uma Copa do Mundo.

Antes cotada como uma das favoritas ao título no Qatar, a equipe, terceira colocada no Mundial da Rússia, deu adeus ao Mundial após uma primeira fase recheada de polêmicas, como supostas brigas nos vestiários, rusgas entre atletas e uma histórica derrota para Marrocos, que se classificou.
Triste fim de uma das gerações mais promissoras da Bélgica.

 


Fonte: Folhapress

Imprimir