Cidadeverde.com
Cidades

Operação lacra 11 postos de combustíveis e notifica 22 no interior do Piauí

Imprimir

O Instituto de Metrologia do Piauí (Imepi) e o Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) realizaram a 9ª etapa da Operação Petróleo Real em 24 municípios, com 72 postos de combustíveis fiscalizados, onde 22 foram notificados, sendo que 11 tiveram as bombas lacradas por fornecerem combustíveis em quantidade menor do que estava sendo registrado. 

Os flagrantes ocorreram entre 5 e 9 de dezembro em municípios do Sul do Piauí, na região de São Raimundo Nonato, com apoio da Secretaria de Fazenda do Estado (Sefaz). Essa foi a última etapa da operação neste ano.

Dos 72 postos fiscalizados, foram aprovados 39, ou seja, 54,1%, enquanto foram reprovados 22, cerca de 30,5%. Foram encontrados vários problemas, entre eles, vazamento de mangueira, lacre violado da medida de volume, grafia de simbologia danificada, entre outros.

O principal problema foi a bomba de medida baixa, encontrado em 11 locais. Nesses locais os consumidores estavam levando menos combustível do que estava sendo registrado. Nesses casos a bomba é lacrada e só pode voltar a funcionar após uma empresa creditada pelo Inmetro for ao local e consertar.

“Essa é a 9ª fase da Operação Petróleo Real, que foi realizada em 72 estabelecimentos, o principal problema encontrado foi a medida baixa, pois a cada 20 litros existe uma tolerância de 100 ml, mas estavam praticando fora disso. Em São Raimundo Nonato, chegamos a encontrar o absurdo, de a cada 20 litros, o consumidor perdia 600 ml”, explicou diretor do Imepi, Maycon Monteiro.

Esses 11 postos que foram autuados possuem 10 dias para se manifestar e após esse período pode ser aplicada multa que pode variar de R$ 100 mil a R$ 1,5 milhão.

A operação foi realizada nos municípios de: Anísio de Abreu, Bonfim do Piauí, Brejo do Piauí, Campo Alegre do Fidalgo, Canto do Buriti, Capitão Gervásio Oliveira, Caracol, Coronel José Dias, Dirceu Arcoverde, Dom Inocêncio, Fartura do Piauí, Guaribas, João Costa, Jurema, Lagoa do Barro do Piauí, Nova Santa Rita, Pajeú do Piauí, Pedro laurentino, São Braz do Piauí, São João do Piauí, São Lourenço do Piauí, São Raimundo Nonato, Tamboril do Piauí e Várzea Branca.

Gás de cozinha

Também foram encontrados problemas em postos de revenda de botijão de gás. Foram 25 pontos fiscalizados em 11 municípios, sendo que 5 foram reprovados. Ao todo foram analisados 442 botijões.

Nesse caso, foram encontrados botijões com menos quilos. “Nós analisamos os de 13 kg, que é o usado pelo consumidor nas cozinhas, e existe uma tolerância de 350 g para cada botijão, mas nesses 5 que foram reprovados, o peso era bem menor, um deles chegava a 2 kg. Nesse caso entendemos que não é o revendedor o culpado, mas sim os envazados que são notificados, pois o revendedor é tão vítima que o consumidor, pois ele adquiriu assim. Então todo o lote é retirado e é impedida a sua comercialização”, explicou Maycon.

A fiscalização ocorreu em Dirceu Arcoverde, São Lourenço, São Raimundo Nonato, São Braz, Coronel José Dias, São João, Capitão Gervásio, Campo Alegre Fidalgo, Brejo, Canto Buriti e Itaueira.

 


Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir