Cidadeverde.com
Política

"Não adianta fazer beicinho”, afirma presidente do TRE-PI sobre contestação das urnas

Imprimir

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI), Erivan Lopes, na noite desta sexta-feira (16), fez um duro discurso contra ações antidemocráticas que colocaram em questão o resultados das eleições. O presidente chegou a dizer que “não adianta estrebuchar e nem fazer beicinho” sobre o resultado das urnas.

"Só serão empossados em cargos públicos, aqueles nomes que disputaram e tiverem o devido reconhecimento da Justiça Eleitoral", afirmou durante solenidade de diplomação dos candidatos eleitos no Piauí.

“Não adianta estrebuchar nem fazer beicinho. Sem esse diploma que acabamos de entregar à senhoras e aos senhores, nada feito, não tomarão posse nos cargos e nem exercerão poder político, porque o tempo de rupturas do ordenamento jurídico pela força não entrou, mas apenas ficou para história”, afirmou o presidente do TRE-PI. 

Erivan Lopes seguiu o discurso evocando o papel da Constituição. Ele destacou que o documento deu a competência aos tribunais para a captação e aferição “da vontade soberana do povo brasileiro, desde a qualificação do eleitor até a declaração dos eleitos”. 

O presidente do TRE-PI, sem destacar nomes, citou falas ditas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao longo da campanha, à exemplo do famoso “Dá um Google aí” e “jogando nas quatro linhas da Constituição”, expressão corriqueiramente usada pelo candidato derrotado nas eleições. 

"Não custa lembrar que, quando a Justiça Eleitoral decreta medidas aparentemente ativistas, relativizando direitos individuais, tais como de livre manifestação do pensamento ou de reunião, em verdade não está jogando fora das quatro linhas, está apenas exercendo sua competência constitucional de assegurar a soberania da vontade do povo", destacou Erivan Lopes. 

O pleito das eleições de 2022 foi marcado por um amplo questionamento, por parte de membros do grupo de Bolsonaro, a segurança e confiabilidade do resultado das urnas. Após a constatação de vitória do presidente eleito Lula (PT) diversos grupos de manifestantes sairam às ruas para contestar a derrota de Bolsonaro. 

Sem apresentar provas, essa parcela da população tem denunciado que houve uma fraude nas eleições. O Partido Liberal chegou a entrar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com um pedido de verificação extraordinária do resultado do segundo turno das eleições. Sem apresentar qualquer prova de fraude, o PL pediu a invalidação dos votos de mais de 250 mil urnas.

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir