Cidadeverde.com
Esporte

O merecido título da Copa do Mundo para a Argentina

Imprimir

A Seleção da Argentina chegou ao Catar carregando alguns números merecedores de destaque:  36 anos sem ganhar uma Copa e 36 jogos de invencibilidade, além do fato do extraordinário Lionel Messi não ter na brilhante carreira um título mundial. 

Foto: Estadão Conteúdo

Na longa caminhada sem títulos duas finais  perdidas para a mesma Alemanha em 1990 na Itália (1 x 0 para a Alemanha) e 2014 no Brasil (1 x 0 para a Alemanha).

Seria possivelmente a última oportunidade para Messi levantar a taça e o começo foi péssimo, com derrota para a Arábia Saudita por 2 x 1. Os argentinos, porém,  tiveram forças para uma reação, comandada por Messi até a chegada à final com a França.

E que final para a história das copas. A Argentina começou muito bem, com Messi e Di Maria comandando as ações do meio-campo para a frente para construir uma vantagem de 2 x 0 no primeiro tempo. 

O título estava bem encaminhado, porém veio a reação francesa na reta final do jogo e com ela o empate de 2 x 2, com gols do artilheiro Mbappé. 

A definição foi para a prorrogação e lá estava Messi com o terceiro gol argentino. Novamente a festa era em Buenos Aires, interrompida por mais um gol de Mbappé: 3 x 3.

A taça esteve nas mãos dos argentinos duas vezes. E agora? Pênaltis para o desempate. Messi marcou o primeiro, abrindo caminho para a vitória que, afinal, veio com os seus companheiros de cobranças.  Argentina novamente campeã do mundo, agora pela terceira vez: 1978, 1986 e 2022.

Messi foi o maior jogador da Copa do Mundo do Catar e chegou a conquistar a torcida e os aplausos de milhões de brasileiros, que deixaram de lado a histórica rivalidade.

O brilhante Lionel Messi, com um futebol extraordinário, humildade e disposição para vencer, Igualou a marca de Maradona, campeão mundial em 1986 e vice em 1990. Messi é vice da Copa de 2014 no Brasil e campeão no Catar.

Dídimo de Castro
[email protected]

Imprimir