Cidadeverde.com
Entretenimento

Luísa Sonza é eleita cantora do ano no WME Awards by Music2!

Imprimir

Vitor Eduardo / AgNews

Com cinco anos de carreira, Luísa Sonza, 24, se consagra como uma das principais cantoras do país. Prova disso, a artista ganhou as paradas musicais nos últimos anos e foi eleita no WME Awards by Music2!, prêmio dedicado às mulheres do universo musical, como a cantora do ano.

"Fico feliz porque esse ano eu entendi o que é ser cantora e o que é ser artista. Fico muito feliz de receber esse prêmio", disse no palco.

Além de Sonza, Duda Beat, Juçara Marçal, Liniker e Marina Sena estavam indicadas na categoria.

Neste ano, a cantora soma diversos feitos em sua carreira, como a primeira indicação ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa com "Doce 22" e shows lotados no Brasil quanto no exterior. Recentemente, Luísa voltou de uma turnê com estádios cheios em Portugal. Na lista de apresentações, a artista parou a Cidade do Rock durante a sua performance no Rock in Rio, em setembro.

Além disso, 2022 também foi o ano da cantora em relação aos projetos musicais. Ela fez colaboração musical com Luan Santana, na música "Coração Cigano", com Baco Exu do Blues, em que gravaram a canção "Hotel Caro" e também "Poesia Acústica 13", com uma lista de cantores, por exemplo, L7NNON, MC Cabelinho, Oruam, Xamã, entre outros. Ela também gravou o Lud Session com a cantora Ludmilla.

A cantora atingiu o topo do Spotify com "Cachorrinhas", onde acumulou mais de 6,8 milhões de reproduções na plataforma de streaming, mas não parou por aí. Luísa também conseguiu o feito com "sentaDONA", "Hotel Caro" e "Poesia Acústica 13". Hoje, às 21h, a artista lançou "MAMA.CITA", em parceria com Xamã.

Luísa também venceu como "Melhor Clipe do Ano". "Muitas coisas aconteceram na minha vida esse ano. 2022 me trouxe muita coisa, muita bagagem", finalizou.

Se 2022 foi o ano em que a cantora alcançou o sucesso, também foi o ano em que uma acusação de racismo feita contra ela em 2018. Sonza adiou o início da sua nova turnê em razão da repercussão de um processo movido contra ela pela advogada Isabel Macedo dos Santos.

Há quatro anos, em uma pousada, a cantora teria abordado a advogada presumindo que ela fosse uma funcionária do hotel e demandando tarefas. No início de outubro, Luísa Sonza se retratou. Em uma série de vídeos, pediu desculpas à Isabel e disse ter reproduzido racismo estrutural na abordagem com ela. A cantora retomou a turnê adiada no início de dezembro.

Início da carreira

Nascida em Tuparendi, no Rio Grande do Sul, Luísa lançou o seu primeiro álbum de estúdio, "Pandora", em junho de 2019. A estreia veio após estrondoso sucessos com "Devagarinho", "Boa Menina" e "Pior que Possa Imaginar".

Ao todo, a cantora conta com mais de 860 milhões de streamings nas plataformas e mais de 1 bilhão de visualizações no canal. Na carreira, ela também emplacou parcerias musicais com Pabllo Vittar, Dilsinho, Anitta, Vitão, Mc Zaac, Pedro Sampaio, Jão, Marília Mendonça e Léo Santana.

Com o hit "BRABA", Luísa atingiu pela primeira vez solo o topo do Spotify. Só no YouTube o clipe possui mais de 168 milhões de visualizações. Diante disso, Luísa figurou entre as três artistas femininas mais ouvidas do Spotify, e se mantém nesta posição.
Em 2021, Luísa lançou o seu segundo álbum de estúdio - "Doce 22". Só nas primeiras 24h foram mais de quatro milhões de streamings e sete faixas entre as 50 mais tocadas da plataforma.

Ainda no ano passado, ela foi considerada a artista pop mais ouvida pelo Spotify Brasil, sendo o "Doce 22" o álbum nacional feminino mais escutado pela plataforma.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir