Cidadeverde.com
Política

Missão é tirar o Brasil do mapa da fome, diz Wellington Dias sobre pedido de Lula

Imprimir

Fotos: Renato Andrade/Cidadeverde.com 

O senador eleito Wellington Dias (PT) afirmou nesta sexta-feira (23) que o Ministério do Desenvolvimento Social será o “coração” do governo Lula (PT). No primeiro pronunciamento em que fez após o anúncio a pasta que será prioridade a partir de janeiro de 2023, o petista também revelou algumas das “missões” que já foram repassadas pelo presidente eleito. 

A primeira dessas missões é a de tirar o Brasil do mapa da fome. O país voltou a figurar no ranking na metade deste ano. A segunda, já está sendo concluída pelo ex-governador piauiense: a aprovação da PEC da Transição que vai garantir o Bolsa Família de R$ 600, mais R$ 150 para aquelas que tem crianças cadastradas.

“Por uma confiança do presidente Lula recebi o convite e aceite. E, conhecendo a história do presidente Lula, a pasta que simboliza entre tantas missões, aquela que representa o coração do governo Lula […] O presidente Lula assumiu já na campanha quatro destacadas missões, assim, a minha missão como ministro do Desenvolvimento Social está centrada em quatro grandes blocos”, disse.

Wellington Dias teve importante articulação para garantir votos de senadores e deputados. Por esse trânsito, ele também revelou que Lula teve dúvidas se o nomearia para um ministério ou o deixaria em posição estratégica no Senado.

“O presidente tinha dúvida se realmente precisava de mim no senado ou no Executivo. Eu estava aberto a cuidar da missão que me fosse dada. É uma responsabilidade muito grande. Voltando a minha terra dá um frio danado, é o peso da grande responsabilidade. É Deus no Comando, estou bastante confiante e estou determinando a cumprir a missão. Será um trabalho muito técnico”, disse.

As demais missões de Wellington Dias na pasta serão o de garantir o andamento de programas de habitação, tal como o Minha Casa, Minha Vida, atualmente paralisado.  

 

“Programa Acolhe Nordeste”

O futuro ministro confirmou que levará para a pasta o “Programa Acolhe Nordeste”, que concede assistência a crianças e adolescentes que perderam os pais, vítimas de COVID-19. A ação foi idealizada por equipes do Consórcio Nordeste, implantado inicialmente no Piauí, durante a pandemia do vírus em 2021. 

Wellington Dias também confirmou que fará um mistério com a participação de uma equipe ampla dos 27 estados. Porém, garantiu a participação de piauienses no time. 

“É um programa que assume a responsabilidade por órfãos da Covid. É uma proposta que nasceu aqui no Maranhão, Piauí, no Nordeste. Assim, como programas de qualquer partido. Acabou a eleição e vamos governar para todos e todos”, disse. 

Wellington Dias também pontuou sobre alteração no ministério com o desmembramento de Esportes, que passará a ser ministério também e a criação de uma Secretaria de Direitos Humanos.

Wellington Dias ainda fez uma avaliação do atual Ministério da Cidadania, criado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). A pasta será desmembrada e o ministério do Desenvolvimento Social será recriado. O senador eleito disse que será preciso um grande esforço nacional para reconstruir a rede que, segundo ele, foi destruída durante o atual governo. 

“Vamos ter que trocar pneu com o carro andando. Ou seja, de um lado organizar a rede que está muito destruída, temos 22 mil unidades sociais, com município, estado e governo federal, e também em variados setores desta área. Também a própria reorganização do ministério para que a gente tenha condições de fazer esse compromisso do presidente Lula que não é pequeno. Mas ele já demonstrou que é possível”, disse Wellington Dias

 

Paula Sampaio
[email protected] 

Imprimir