Cidadeverde.com
Entretenimento

Diretor de Pantera Negra revela como seria a sequência de filme antes da morte de astro

Imprimir

Foto: Reprodução

A sequência da franquia de sucesso Pantera Negra precisou ser alterada depois da morte do protagonista Chadwick Boseman, que morreu em 2020, aos 43 anos, em decorrência de um câncer de cólon.

A história original criada Ryan Coogler, diretor e roteirista do filme, daria destaque para a relação de T'Challa, interpretado por Boseman, com o filho, Toussaint, após a ausência do herói nos primeiros anos da criança. A ausência do personagem ocorreu pois ele foi uma das pessoas que desapareceu após o estalo de Thanos em "Vingadores: Guerra Infinita".

"Não era nada parecido com o que fizemos. Seria uma história de pai e filho da perspectiva de um pai, porque o primeiro filme foi uma história de pai e filho da perspectiva dos filhos", disse Coogler em entrevista ao jornal The New York Times.

O diretor ainda revelou que criou um codinome para a sequência, que revela as intenções iniciais para a produção."Nosso codinome era 'Férias de verão, e o filme era sobre um verão que o garoto passa com o pai. No aniversário de oito anos, eles fazem um ritual em que vão para o mato e vivem da terra. Mas algo acontece e T'Challa tem que salvar o mundo com seu filho no colo. Esse seria o filme", comenta.

"A primeira cena foi uma sequência animada. Você ouve Nakia (interesse amoroso de T'Challa) conversando com Toussaint. Ela diz: 'Diga-me o que você sabe sobre seu pai'. Você percebe que ele não sabe que seu pai era o Pantera Negra. Ele nunca o conheceu, e Nakia se casou novamente com um cara haitiano", finalizou.

De acordo com Coogler, o segundo filme avançaria três anos e iria mostrar Pantera-Negra conhecendo o filho.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir