Cidadeverde.com
Política

Em despedida, Regina Sousa rebate preconceito que sofre no dia a dia e destaca avanços

Imprimir

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Atualizada às 11h50

 

Primeira mulher a assumir de forma efetiva o cargo de governadora do Piauí, Regina Sousa (PT), fez nesta quarta-feira (28) um discurso de despedida rebatendo o preconceito que sofre no dia a dia e destacou os avanços de seu governo. 

“As cobranças sobre mim são muitas, a cara fechada, o jeito sisudo. Fui em museu e vi que não caibo na moldura de quem geriu o estado, mas eu geri. Tem muito preconceito embutido nessa história”, disse. 

Ao lado de vários jornalistas, Regina Sousa iniciou o discurso com um “pedido de desculpas” pelo seu jeito “da roça”. A petista que assumiu o executivo do estado por nove meses, passará a faixa para o governador eleito Rafael Fonteles (PT) no dia primeiro de janeiro. 

“Peço desculpas pelo meio jeito que, às vezes, parece que estou brigando, mas é o meu jeito. Sou bicho da roça, gosto um pouco de me esconder, e às vezes, não entendem”, brincou  com os jornalistas presentes em coletiva que ela convocou para fazer um balanço da gestão. 

Na coletiva, Regina Sousa elencou os avanços em leis que garantiu ao Piauí ainda como vice-governadora, como a Lei de Regularização Fundiária e fortalecimento do Direitos Humanos. Ao longo do mandato, Regina Sousa entregou diversos títulos de posses no Piauí. 

“Não estava quieta esperando o governador viajar para substituir ele. Fico satisfeita com o que fiz, muita gente pode não compreender, mas para mim é o que importa. É minha obsessão. Dentro do que eu pude”, pontuou. 

A governadora lembrou como luta no fechamento de seu governo, o pagamento do Fundeb aos professores e o adiantamento do 13º salário para servidores do estado. 

“O pagamento do Fundeb, são 150 milhões para os trabalhadores em Educação e vai estar na conta amanhã”, disse. 

Área social  

Regina Sousa destacou que o principal projeto que tocou na sua gestão foi o “Moradia social”, onde disponibilizou recursos na ordem de R$ 20 mil para que pessoas em situação de vulnerabilidade realizem o sonho da casa própria. 

Saúde

Na saúde, Regina Sousa pontuou sobre uma lei que sancionou e que permitiu o início de um programa para orientar e agilizar atendimento as vítimas de infarto e AVC. 

“Estou deixando uma coisa que nem eu sabia a dimensão, a rede do miocárdio. Muitas vidas foram salvas, a primeira coisa é o remédio para salvar alguém do infarto. Vemos a felicidade da equipe em Parnaíba por estar salvando vidas. Ninguém ouviu mais falar de morte em hospital por conta disso. É um remédio caro, mas vale a pena para salvar vida”, completou.  

Meio Ambiente

No meio ambiente, Regina Sousa falou sobre a redução no índice de queimadas no estado. Segundo ela, o estado adquiriu um helicóptero equipado e realizou treinamentos em municípios estratégicos. 

“Claro que podia ser muito mais. Tem a questão do lixo na Serra da Capivara, um projeto da vice-governadoria que passamos para o MP e que as prefeituras estão levando a sério. A questão do fogo esse ano foi bem menos, pois fizemos toda uma preparação com a população. Tem que preparar as pessoas, adquirimos um helicóptero com a bolsa de colocar água, evoluímos nessa questão de combate ao incêndio”,disse. 

Período eleitoral 

Regina Sousa finalizou destacando que queria ter feito mais nos noves meses em que assumiu o governo. Ela argumentou sobre as limitações impostas pelo período eleitoral e pelo fato do Governo do Piauí estar na oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PL). 

“Foi um ano mais difícil. Mas, concluímos muitas obras. Tem muitas escolas que temos para inaugurar, mas não o fizemos pois não tem equipamento, porque o TCE barrou a licitação por algum motivo. Eu tenho isso de não inaugurar uma obra sem que ela esteja concluída. Fizemos muito também pelo período da eleição, tem muitos títulos de terra porque era doação ou algo do tipo. Poderíamos ter feito mais se não fosse o período de eleição, mas se não fosse, eu não seria governadora, não é?”, destacou.

A partir de janeiro de 2023, Regina Sousa assumirá a Secretaria de Assistência Social no governo de Rafael Fonteles. Ela disse que as prioridades serão moradia, comida na mesa e água para a população mais pobre. 

Ouça a íntegra do áudio da coletiva da governadora: 

 


Paula Sampaio 
[email protected]

Imprimir