Cidadeverde.com
Cidades

Veículos ficam "ilhados" por causa de obra em ruas do Parque Alvorada

Imprimir
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_03_39.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_04_14.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_04_44.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_05_17.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_05_40.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde
  • WhatsApp_Image_2022-12-30_at_10_05_59.jpeg Renato Andrade/Cidadeverde

Moradores de três ruas no Parque Alvorada, na zona Norte de Teresina, reclamam sobre uma obra da Prefeitura de Teresina que interditou o local e está impedindo a entrada e saída de veículos das residências. 

As ruas atingidas pelo serviço são a Gaston de Greslan, Glauber Rocha e Telegrafista Francisco Medeiros. Segundo o professor Ruben Mendonça, morador do bairro, o serviço começou na quarta-feira (28) e a previsão era que ontem (29), a circulação de veículos estaria liberada. 

“Na quarta-feira eles começaram essa obra dizendo que era coisa de dois dias, prometeram que ontem o pessoal já retiraria ou guardaria os carros da garagem, mas até hoje tem carro sem poder sair porque não tem como”, disse o morador.

De acordo com Ruben Mendonça, a obra foi iniciada para desentupir os canos de uma galeria localizada em uma das ruas. Na região, o entulho do asfalto retirado ocupa grande parte das ruas que também está alagada devido à chuva da noite de ontem. 

“Nossa grande revolta é por que não houve uma comunicação prévia com a comunidade para que a gente pudesse se preparar, para que a gente pudesse pelo menos evitar esses transtornos? Porque isso aqui é muito desagradável, a gente está com o carro preso e não pode sair, tem que pagar Uber para poder me deslocar”, desabafa o professor. 

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Sem previsão de finalização do serviço, o morador acrescenta que os moradores estão prejudicados e se caso alguma emergência acontecer, terá que acionar uma ambulância, já que os veículos não consegue circular na rua. 

“A gente não sabe nem quando termina, disseram que eram dois dias e já está com três. Como que se pode comemorar o Ano Novo com essa bagunça? Nessa casa da frente tem uma senhora grávida prestes a ter neném e fica o carro preso. Vai ter quer ser chamada ambulância porque não tem como carro nenhum entrar aqui”, diz. 

Além disso, o professor reclama sobre a falta do escoamento da água de uma lagoa que também contribui para o alagamento das ruas. 

“Tem uma lagoa aqui há dois meses que a água está acumulada. Aqui quando chove, a água fica apenas com dois dedos de subir na calçada e desde que essa galeria entupiu sempre alaga. Detalhe, você pega peixe com a mão”, acrescenta Ruben.

Saad se manifesta 

Por meio de nota, a Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Centro (Saad Centro) se manifestou sobre a situação das ruas do Parque Alvorada. A pasta informa que a implementação da tubulação deve ser concluída ainda nesta sexta-feira(30).

Veja a íntegra da nota: 

A Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD) Centro informa que vem acompanhando de perto a situação do bairro Parque Alvorada. 

A SAAD Centro reforça que já concluiu a instalação de um bomba em um ponto próximo das ruas Monteiro Lobato com a rua Zuca Lopes, trecho mais crítico da região. Já a implementação de tubulação na rua Rua Telegrafista Francisco Medeiros será concluída nesta sexta-feira (30).
  
O equipamento fará a drenagem de uma lagoa próxima da área, o que dará fim ao acúmulo de água presente nas vias

 

Rebeca Lima
[email protected]

Imprimir