Cidadeverde.com
Últimas

Após onda de crimes, PM reforça policiamento em Piripiri e no litoral do Piauí

Imprimir

Fotos: Ascom/PM-PI

A Polícia Militar iniciou nesta quarta-feira (4) duas operações para reprimir a onda de crimes que tem ocorrido na cidade de Piripiri e no litoral, principalmente de crimes envolvendo facções criminosas. São 70 policiais e 23 viaturas designadas.

A cidade de Piripiri, a 166 km de Teresina, tem enfrentado uma onda de homicídios, a maioria envolvendo pessoas envolvidas com facções criminosas. A Polícia Militar nesta quarta-feira, enviou para a região 40 policiais militares e 13 viaturas.

“Na Tolerância Zero vamos atuar em Piripiri, onde foram deslocados dessa operação 40 policiais militares com 13 viaturas, entre motocicletas e carros, e reforço de aeronave. Também vamos atuar nas cidades ao redor. O objetivo, além de garantir a Segurança Pública no município e adjacentes, através de blitz, saturação e de abordagens, é tentar coibir crimes”, informou o coronel Sá Júnior, comandante do Policiamento do Litoral Meio-Norte.

Também será realizada a Operação Litoral Seguro XI, com o reforço de mais 30 policiais nas cidades de Parnaíba, Luís Correia, Cajueiro e Ilha Grande.

“No litoral estamos dando esse reforço na operação, é um efetivo com mais 30 policiais e 10 viaturas. Tudo foi planejado ainda no ano passado, e está sendo colocado em prática para se diminuir os índices de crimes”, explicou.

O coronel Sá Júnior destacou que foi feito um estudo para identificar as áreas com as maiores incidências de crimes nesses municípios. As facções criminosas são uma preocupação, e o objetivo é a repreensão das atividades realizadas por essas organizações.

“Trabalhamos analisando na situação da mancha criminal, se tem uma alteração que requer uma atenção diferenciada, colocamos um reforço no policiamento, e assim a gente consegue diminuir essa mancha, e isso também em parceria com as demais forças de segurança, o poder judiciário, e o apoio da sociedade. Sabemos que existe um modus operanti [das facções], então uma coisa é uma blitz educativa e uma blitz repressiva. Temos levantamento de locais que vamos atuar de forma mais repressiva, mas tem locais que são mais de policiamento ostensivo. Junto com a Polícia Civil,  e a parte do setor de inteligência, a gente consegue mapear e colocar a operação nos locais certos”, explicou.

O comandante do Policiamento do Litoral Meio-Norte informou que as duas operações se iniciaram hoje, mas que não existe data definida para que sejam encerradas.

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir