Cidadeverde.com
Política

Piauí quer indicações no BNB, Codevasf e criará conselho consultivo, afirma Rafael Fonteles

Imprimir

O governador Rafael Fonteles (PT) afirmou nesta quinta-feira (05) que o Piauí está pleiteando indicações em cargos federais no Banco do Nordeste (BNB) e na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). O petista também revelou que passou uma meta que deve ser seguida à risca pelo secretariado. 

“O comando dado para a nossa equipe é que o Piauí seja o campeão em aproveitamento de programas federais. Qualquer programa que os ministros criem, o Piauí tem que estar de prontidão para cumprir as regras e receber proporcionalmente. Tem que estar pronto para fazer o dever de casa”, disse em entrevista à TV Cidade Verde.

Rafael Fonteles destacou o alinhamento que o Governo do Estado tem com o presidente Lula (PT), como a nomeação do ministro Wellington Dias (PT)  para o  Desenvolvimento Social e avaliou o atual contexto como uma "oportunidade única" para o Piauí. 

CONSELHO CONSULTIVO 

O governador tem frisado querer cumprir o que foi colocado no Plano de Governo para os próximos quatro anos de gestão. Para isso, ele falou em entrevista ao Cidadeverde.com, sobre a necessidade de ter agilidade na tomada de decisões. Segundo o governador, um “Conselho Consultivo” será formado para auxiliá-lo nesta tarefa.

“Será semelhante ao conselho da presidência da República, em que poderemos ter um fórum com personalidade de grande relevância para a sociedade na área acadêmica, na área social, para que o governo não fique fechado apenas na equipe interna”, declarou. 

A criação do conselho está prevista em lei, após a reforma administrativa enviada à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). O grupo será presidido pelo próprio Rafel Fonteles e terá 21 membros com a seguinte composição: secretários de administração, planejamento, fazenda, governo, segurança pública, educação, saúde, assistência social, o procurador geral do estado, o presidente da Investe Piauí e até dez cidadãos escolhidos pelo governador do estado, com comprovada experiência em áreas relacionadas à gestão pública ou privada, designados por decreto.

Rafael Fonteles ainda pontou não querer ser um “governador de gabinete”. “Eu sempre disse que o Karnak sempre estará de portas abertas para podermos está ouvindo o povo. Eu mesmo tenho a missão de estar indo até o povo, especialmente o mais pobre para que a gente não fique isolado, achando que o mundo está aqui dentro do gabinete, sem estar ouvindo a voz das ruas”, acrescentou. 

Foto: Renato Andrade/ Cidade Verde

IMPASSE NO ORÇAMENTO  

Rafael Fonteles afirmou que que o impasse com o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) sobre o orçamento para 2023 será resolvido ainda no mês de janeiro. O governador disse que a situação foi uma surpresa para a equipe de transição. Segundo ele, o imbróglio judicial com o TJ-PI oferece risco fiscal ao estado e, por isso, a necessidade de pedir a suspensão do orçamento. 

“Ao longo desse mês de janeiro será resolvido. Como todos sabem a equipe de transição foi surpreendida após já ter tido o entendimento entre os poderes. Elevou o risco fiscal e poderia afetar o orçamento. Foi pedido que a Assembleia aguardasse a solução para essa pendência judicial. É uma decisão da própria Assembleia, nós como Poder Executivo fizemos o pedido. Já marcou a nossa atuação como secretário de Fazenda e iremos resolver essa situação junto ao Judiciário para resolver o orçamento”, disse. 

Paula Sampaio
[email protected]

Imprimir