Cidadeverde.com
Últimas

Coronel assume diretoria do HPM e quer serviços de alta complexidade no Piauí

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

O coronel Leandro de Melo Castelo Branco assumiu  nesta quinta-feira (5) a diretoria-geral do Hospital da Polícia Militar (HPM) em substituição ao Coronel Marcos Rogério, que foi nomeado diretor administrativo.

Entre as diversas metas estabelecidas, o novo diretor-geral afirmou que tem o desejo de transformar o HPM em uma unidade de saúde de alta complexidade. O oficial afirma que já abriu discussões sobre o tema com a Secretaria da Saúde (Sesapi).

 

“Temos 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que ficaram como legado da pandemia. Se conseguirmos profissionais e equipamentos especializados e for desejo da Sesapi, temos disposição em dar este passo”, afirma Castelo.

O HPM é atualmente um hospital de média complexidade que atende pacientes regulados. Possui 99 leitos de enfermagem e 10 de UTI. Oferece consultas em 16 especialidades médicas, além de cirurgias, com destaques para operações ortopédicas. A unidade funciona como um importante suporte para o Hospital de Urgências de Teresina, seguindo com o atendimento de pacientes traumatizados.

Entre as especialidades cirúrgicas disponibilizadas estão: angiologia, cirurgia geral, cirurgia plástica, coloproctologia, dermatologia, ginecologia, ortopedia, urologia e  buco-maxilar. As especialidades clínicas são anestesiologia, cardiologia, clínica geral, gastroenterologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, radiologia, fonoaudiologia, psicopedagogia, nutricionista, terapeuta holístico.

O Hospital da Polícia Militar oferece ainda consultas e cirurgias odontológicas, sendo especializado em atendimento a autistas e pessoas com necessidades especiais. Durante o período mais crítico da pandemia da Covid-19, o HPM funcionou como hospital sentinela e passou a atender exclusivamente os pacientes infectados pelo coronavírus.

De acordo com a PM, de 2020 a 2022, o HPM realizou 5.724 cirurgias, mil atendimentos de exames e uma média de 3 mil consultas por mês. Neste período foram realizadas reformas estruturais como a canalização de todo o hospital, reforma do centro cirúrgico e inauguração da UTI.

O plano do novo gestor é ampliar o leque de serviços ofertados ao público. “Nos colocamos à disposição para ampliar o atendimento à população e auxiliar na redução da fila de espera por cirurgias em diversas especialidades. Temos espaço e disposição para crescer”, finalizou.


Da Redação
[email protected]

Imprimir