Cidadeverde.com
Vida Saudável

Saúde física e mental não devem ser negligenciadas, afirma psicólogo

Imprimir

 

Foto: Freepik

 

Cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da saúde do corpo. Ambas andam em sintonia e não devem ser negligenciadas já que problemas psicológicos podem desencadear danos no corpo, assim como o quadro de uma patologia pode se agravar devido à saúde mental. Segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), os transtornos mentais são a principal causa de incapacidade.
 
Ainda de acordo com a OMS, apenas no primeiro ano da pandemia, a depressão e ansiedade aumentaram mais de 25%. Por isso, é importante reforçar campanhas como o Janeiro Branco. Em 2023, a campanha em âmbito nacional traz o tema "A vida pede equilíbrio". "A importância do Janeiro Branco é conscientizar as pessoas a respeito de cuidar também da saúde mental, das necessidades emocionais e afetivas", alerta a psicóloga Bianca Leal.
 
A especialista reforça ainda que a saúde física é impactada diretamente pela saúde mental.

"Se não estamos bem conosco, com as nossas emoções, o nosso corpo pode responder de forma direta ao que sentimos. Por isso, muitas vezes, quando estamos ansiosos, tristes ou deprimidos, podemos sentir baixa energia para fazer atividades físicas de maior intensidade. Aspectos como alterações na concentração, na memória, perda ou ganho de peso e baixa imunidade podem ser ocasionados por distúrbios da mente. Além disso, em alguns casos, certos sinais podem ser observados como taquicardia, insônia, dores crônicas, alergias e problemas de pele", explica a psicóloga, que ressalta que é fundamental buscar ajuda profissional em casos de sintomas.
 

Início de ano: metas e frustrações podem causar estresse

 
Toda virada de ano é um momento de reflexão e projeções para o ano seguinte. Enquanto algumas pessoas criam listas de metas, expectativas e sonhos, outras refletem pelo ano que passou e ficam mais emotivas. Para a psicóloga da Med Imagem, Bianca Leal, as metas são importantes, mas precisam ser realistas para que não geram frustrações.
 
"Ao criar metas, é importante que sejam alcançáveis e reais, especificamente, que façam sentido para a pessoa que pretende alcançá-las. A frustração pode vir de uma grande quantidade de metas difíceis ou por não haver engajamento no resto do ano para alcançar esses objetivos. Desse modo, é importante buscar se compreender e entender seus propósitos para que estas metas sejam possíveis. É preciso termos a consciência de que somos um sistema que funciona melhor em equilíbrio, por isso, a necessidade de cuidar tanto dos aspectos psicológicos como dos físicos", esclarece Bianca.
 
A psicóloga traz ainda algumas orientações que fazem bem para o corpo e mente. "Buscar atividades benéficas ao corpo, praticar atividade física, nutrir-se de relações interpessoais agradáveis, ter boa capacidade de expressão dos sentimentos e principalmente buscar auxílio psicológico quando necessário", frisa a profissional.

 


Da Redação
[email protected]

Imprimir