Cidadeverde.com
Política

Rafael diz que união entre Estados ajudará a restabelecer a ordem no país

Imprimir

Foto: Divulgação

O governador do Piauí, Rafael Fonteles, participou nessa segunda- feira (9), em Brasília, de reunião emergencial do Fórum dos Governadores com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, o presidente interino do Senado, Veneziano Vital do Rego, e da Câmara Federal, Arthur Lira, para tratar dos ataques terroristas praticados por bolsonaristas no último domingo (8).

O encontro, realizado no Palácio do Planalto, contou com a presença de 23 governadores e representantes de quatro estados, ministros de Estado, parlamentares e membros do Executivo. Todos os discursos no encontro foram em defesa da democracia e repúdio aos ataques do domingo.

Em vídeo publicado nas suas redes sociais, o governador do Piauí se colocou à disposição para ajudar no que for preciso para fortalecer a democracia do país. “Ontem tivemos a página mais triste da história democrática, mas hoje temos um momento único de união entre os poderes. A democracia sobreviveu e está mais forte no nosso país”, reforçou.

Rafael Fonteles enfatizou que a união entre os Estados da Federação ajudará a restabelecer a ordem no país e reafirmou que, a pedido do Governo Federal, os estados estão enviando tropas de choque das Polícias Militares para colaborar com a segurança em Brasília. “Queremos uma investigação exemplar. Todos foram considerados atos terroristas e serão tratados como tal”, disse.

O chefe do executivo piauiense ainda afirmou que estão sendo realizadas investigações também nos estados para identificar os financiadores dos atos antidemocráticos. “Já são mais de 1500 presos, mas vamos atrás de quem financiou e facilitou os atos. A prioridade agora é assegurar a democracia”, declarou Rafael.

 

Na reunião, Lula disse aos governadores que o encontro teve por objetivo “prestar solidariedade ao país e à democracia”. O presidente fez diversas críticas à Polícia Militar do Distrito Federal e aos generais das Forças Armadas que, segundo ele, foram omissos e coniventes com os vândalos que depredaram prédios públicos. “Tive que tomar uma atitude forte, porque a Polícia Militar de Brasília negligenciou”, afirmou Lula ao justificar o decreto de intervenção federal na segurança pública do DF.

Na oportunidade, o presidente disse contar com o apoio dos governadores para investigar e coibir as ações criminosas. “Em nome de defender a democracia, não vamos ser autoritários com ninguém, mas não seremos mornos com ninguém. Vamos investigar e vamos chegar a quem financiou”, afirmou.

Lula ainda destacou que a democracia é o único regime que pode possibilitar que os brasileiros façam três refeições por dia. “Nós não vamos permitir que a democracia escape das nossas mãos, porque é a única chance da gente garantir que esse povo humilde consiga comer três vezes ao dia e ter o direito de trabalhar”, disse Lula.


Da Redação
[email protected] 

Imprimir