Cidadeverde.com
Cidades

Defesa Civil do Piauí monitora elevação do nível do Rio Parnaíba

Imprimir

Foto: Divulgação/CCom-PI

A Defesa Civil do Estado informou que está fazendo o monitoramento do volume de águas da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe (350 Km ao sul de Teresina), e adotando medidas preventivas nos municípios localizados à margem do Rio Parnaíba, por conta do aumento das chuvas no sul do Piauí e no Maranhão e Tocantins. 

A iniciativa visou tratar do planejamento de ações preventivas, após a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf)  informar que aumentou o volume de vazão do reservatório de Boa Esperança.

A Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) informou nesta sexta-feira (13) que aumentará a vazão da barragem para 600 metros cúbicos por segundo. Hoje, a vazão gira em torno de 350 metros cúbicos por segundo. Neste sábado, a secretária estadual de Defesa Civil, Norma Sueli Nogueira, se reuniu com o geógrafo Werton Costa e o engenheiro Francisco Carvalho, assessores técnicos da Defesa Civil, para discutir ações e medidas preventivas para evitar problemas com aumento das chuvas e o volume de águas do Rio Parnaíba. 

Com o aumento da vazão, o nível do Rio Parnaíba deve subir nas cidades de Floriano, Teresina e Luzilândia. A secretária de Defesa Civil explica que o momento é de prevenção e planejamento. “Estamos estabelecendo ações preventivas no sentido de minimizar as possíveis ocorrências com aumento da vazão da Barragem de Boa Esperança e também das chuvas” disse ela. 

Entre essas medidas preventivas, conforme explicou, estão visitas às áreas ribeirinhas, reuniões com prefeitos e representantes da Defesa Civil dos municípios que possam vir a ser atingidos por esse aumento das águas. “Estamos fazendo também o alinhamento com o Corpo de Bombeiros, que atua tanto na parte preventiva como em casos emergenciais”, adiantou. Nesse período chuvoso também deve ser evitada a ocupação das áreas de inundação pelas comunidades ribeirinhas e a população deve se manter em alerta. 

O geógrafo Werton Costa destacou que o momento é de acompanhamento e orientação. “Nós já conhecemos as variações de vazão do Rio Parnaíba na barragem, conhecemos o regime pluviométrico e o comportamento das chuvas. Estabelecemos o contato com os municípios para dar as devidas orientações para uma ação preventiva e emergencial. Estamos trabalhando nesse monitoramento para evitar possíveis riscos”, explicou.

Ele disse que a liberação das águas da barragem é um procedimento rotineiro no mês de janeiro, devido ao aumento das chuvas na região. O objetivo é conter a elevação de armazenamento do reservatório. Segundo informações da Chesf, nesta sexta-feira o volume da Barragem era de 64% abaixo do volume de espera estabelecido para o período, que é de 68%. Toda a operação segue as diretrizes do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir