Cidadeverde.com
Últimas

Avião carregado com cocaína é abandonado em plantação de soja no interior de SP

Imprimir

Foto: Divulgação/PF 

Um avião de pequeno porte carregado com cocaína e pasta base de cocaína foi abandonado em uma plantação de soja em Santa Cruz do Rio Pardo (a 346 km de São Paulo), na manhã desta quarta-feira (18).

Ao todo, foram encontrados mais de meia tonelada de drogas espalhadas em tijolos pelo interior do monomotor.

A aeronave foi encontrada pelas polícias Federal e Militar Rodoviária por volta das 10h30 no bairro rural de Caporanga. Ninguém foi preso.

A Força Aérea Brasileira afirmou ter sido acionada quando o avião, vindo de outro país, que não foi especificado, foi detectado pelos radares do Cindacta (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) entrando no espaço aéreo brasileiro por volta das 7h20, sem plano de voo.

O avião, que voava em baixa altitude, acabou monitorado por um caça Super Tucano da FAB. No oeste paulista, foi dada ordem para o piloto pousar em um aeródromo ou aeroporto da região.

Sem atender a ordem, o piloto fez um pouso forçado na plantação de soja, danificando o bico da aeronave, um monomotor Embraer 720C, após bater na plantação.

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, duas pessoas desceram do avião e fugiram em seguida. Até a publicação desta reportagem, ainda eram procuradas.

Com o uso de um helicóptero, o avião foi encontrado na fazenda de soja. Depois, viaturas da PF e da PRF chegaram até a aeronave carregada com tijolos de drogas.

Ao todo, foram encontrados 250 tijolos de cocaína, que pesaram 272 quilos e outros 250 tijolos, com 256,5 kg de pasta base.

A região é conhecida como "rota caipira" do tráfico, com drogas transportadas a partir da Bolívia ou do Paraguai.

Por estradas rodoviárias, entorpecentes são levados, principalmente, do Mato Grosso do Sul para São Paulo, segundo a polícia.

Em 2021, houve recorde de apreensões de drogas em estradas do interior paulista que fazem parte desta rota. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, foram 156 toneladas de maconha, 6,7 toneladas de cocaína, 865 quilos de crack e aproximadamente uma tonelada de outros entorpecentes. No total, 854 pessoas foram presas no período.

 

Fonte: Folhapress (Fábio Pescarini) 

Imprimir