Cidadeverde.com

Tribunal vai analisar pedido de liberdade provisória de Daniel Alves na quinta

Imprimir

A terceira seção do Tribunal de Barcelona vai analisar nesta quinta-feira o pedido de liberdade provisória de Daniel Alves, preso desde o dia 20 de janeiro por suposta agressão sexual. 

A audiência não vai contar com a presença do jogador, seja fisicamente ou virtualmente, e irá contar apenas com os advogados das partes envolvidas. As informações são do jornal espanhol La Vanguardia.

Segundo a reportagem, a sessão servirá para o debate e ponderação de cada uma das partes e apurar se a defesa do atleta, encabeçada pelo advogado Cristobal Martell, oferece garantias para responder às acusações em liberdade. 

Daniel Alves foi preso sob a alegação de risco de fuga. Ester Garcia, advogada que representa a denunciante, mantém o argumento.

Daniel Alves está preso no centro penitenciário Brians 2, em Barcelona. A defesa entrou com recurso no fim de janeiro contra a prisão preventiva do atleta. 

Em documento de 24 páginas, é alegado que não há risco de fuga da Espanha, sendo sugerido a entrega do passaporte e até mesmo o uso de "pulseira telemática", similar a uma tornozeleira eletrônica.

No dia 6 de fevereiro, promotores do Ministério Público da Espanha se manifestaram contra a concessão da liberdade para Daniel Alves, também alegando risco de fuga. Vale ressaltar que o Brasil não extradita brasileiros, o que poderia livrar o jogador da Justiça espanhola em caso de fuga ao País.

Na última semana, resultados do Instituto Nacional de Toxicologia e Ciências Forenses de Barcelona apontaram que os restos de sêmen coletados das amostras intravaginais da mulher de 23 anos que acusa Daniel Alves de agressão sexual são do jogador, assim como os encontrados no chão do banheiro da boate em que os dois estiveram por 15 minutos.

As evidências contradizem a versão do atleta de houve apenas sexo oral.

Fonte: Estadão Conteúdo

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais